Caboclo nega assédio e afirma que jogadores da seleção nunca cogitaram boicote à Copa América

·1 minuto de leitura

Rogério Caboclo quebrou o silêncio. O presidente afastado da CBF falou com o site da "ESPN" sobre a acusação de assédio sexual e moral a uma funcionária da entidade, razão para ter deixado temporariamente a presidência, e também a situação com o técnico Tite e os jogadores.

De acordo com Caboclo, o elenco da seleção nunca cogitou não disputar a Copa América na reunião que realizou com o dirigente, na semana passada. Ele afirmou também que não chegou a planejar a demissão de Tite do cargo. Caboclo disse ainda ser inocente das acusações e que irá provar sua inocência para retornar ao cargo e estar à frente da seleção na Copa do Mundo do Qatar, ano que vem.

O afastamento temporário de Caboclo vai durar 30 dias. Se não conseguir comprovar sua inocência ao Comitê de Ética da CBF no período, uma nova eleição será convocada, como determina o estatuto da entidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos