Caboclo se pronuncia após Federações pedirem renúncia e dá a entender que dirigentes são 'capangas do Del Nero'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Após as 27 federações estaduais enviarem uma carta a Rogério Caboclo pedindo que o dirigente afastado da CBF renuncie ao cargo de presidente da entidade, o mesmo se pronunciou. Através de nota oficial, atacou Ednaldo Rodrigues, nomeado interinamente e deu a entender que as Federações são "capangas de Marco Polo Del Nero".

"Sobre a carta assinada por presidentes de federações que estavam hospedados no Windsor Marapendi, no Rio de Janeiro, que frequentemente é usado pelos capangas de Marco Polo Del Nero como curral eleitoral, sabe-se que até os mais fervorosos defensores do presidente Rogério Caboclo justificaram ter assinado a carta como resultado de uma “coação irresistível”", afirma Caboclo, via nota oficial. (Confira a nota completa no final da reportagem).

A decisão foi tomada menos de 24 horas após a Comissão de Ética da entidade ter dado uma pena de 15 meses de afastamento a Caboclo por conduta inapropriada e afastando as acusações de assédio sexual e moral, a qual ele foi acusado por uma ex-funcionária.

Em nota, a CBF afirmou que "como o Estatuto Social da CBF não prevê a forma de substituição do Presidente em caso de afastamento temporário, como o que presentemente ocorre, visto que tal substituição não está contemplada nas hipóteses do art. 61 (ausência, licença ou impedimento), nem tampouco na hipótese do art. 62 (vacância) e considerando que, uma vez afastado, o Presidente fica privado da prática de qualquer ato administrativo, todos os Vice-Presidentes da entidade – únicos possíveis substitutos – dispuseram formalmente de seu direito de substituição temporária em favor do Vice-Presidente Ednaldo Rodrigues Gomes, que assume interinamente a presidência".

Ednaldo Rodrigues não é presidente da CBF nem de fato nem de direito. A indicação para o ocupante interino do cargo cabe exclusivamente ao presidente afastado, de acordo com o estatuto da entidade.

Rogério Caboclo é inocente da acusação que lhe foi imputada e não renunciará por nenhuma hipótese e não cederá a nenhuma apelação ou desvirtuação estatutária, tendo em vista sua eleição por 96,4% dos votos e por 100% das federações.

Sobre a carta assinada por presidentes de federações que estavam hospedados no Windsor Marapendi, no Rio de Janeiro, que frequentemente é usado pelos capangas de Marco Polo Del Nero como curral eleitoral, sabe-se que até os mais fervorosos defensores do presidente Rogério Caboclo justificaram ter assinado a carta como resultado de uma “coação irresistível”.

Eles foram praticamente obrigados a endossar o documento que, em tese, já teria uma maioria de apoiadores para, assim, não ficarem de fora e sofrerem retaliações.

Todos esses presidentes dizem que o documento de nada vale até o julgamento final que será realizado em assembleia geral, em data ainda a ser definida.

Trata-se de mais um golpe eleitoreiro de Del Nero e seus de vices para tentar ilegitimamente apossar-se da presidência.

Diante da decisão de ontem, que afastou a acusação de assédio contra Caboclo, e o reconduzirá a presidência seja pela assembleia, seja por recurso a ser interposto ou seja pelo cumprimento da pena (com seu retorno em 12 meses), nenhuma eleição poderá ser determinada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos