Cade aprova, com restrições, compra da Fox pela Disney

Gabriel Shinohara

BRASÍLIA - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira, com restrições, a compra da Fox pela Disney.

Como contrapartida pela aprovação da aquisição, o Cade determinou que a Disney deverá manter a transmissão dos eventos esportivos dos quais atualmente detém os direitos por três anos, ou até o término dos contratos de transmissão. Atualmente, a Disney e a Fox têm direitos de 40 eventos esportivos.

Pandemia:Lucro da Disney cai 91% com parques temáticos fechados em razão do coronavírusO canal era o principal entrave para que a transação fosse autorizada. Em fevereiro de 2019, o Cade já havia dado a aprovação, com a determinação da venda do canal Fox Sports.No entanto, no julgamento desta quarta-feira, o conselheiro relator Luis Henrique Bertolino Braido, destacou que a Disney não conseguiu vender o canal pelas características da marca, que desestimulou os possíveis interessados.O canal poderia ser vendido a qualquer preço, mas, segundo o relator, apresentava grandes prejuízos. Braido ressaltou que o impacto econômico da pandemia do coronavírus dificultou ainda mais a transação.

O relator determinou que a Fox Sports deverá manter o mesmo padrão de qualidade atual, incluindo a transmissão da Copa Libertadores da América até 1º de janeiro de 2022. Os jogos também poderão ser transmitidos por outros canais ou meios. Depois dessa data, a competição deverá ser transmitida por canais afiliados.Caso a Disney decida encerrar a transmissão do canal a partir de 1º de janeiro de 2022, deverá devolver a marca Fox Sports de modo que fique livre para qualquer grupo que tenha interesse de utilizá-la.