Cade aprova venda da Extrafarma para Pague Menos

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira a venda da Extrafarma para a Pague Menos. A operação de R$ 700 milhões foi anunciada em maio do ano passado e eleva a compradora para o segundo lugar no setor de farmácias no país.

Negócios: Cade aprova venda da Gaspetro, subsidiária da Petrobras, para Compass

Justiça: STJ pode julgar a possibilidade de planos de saúde desligarem pessoas com doenças graves

Apesar da aprovação, a operação não poderá ser concluída ainda. Os conselheiros do Cade decidiram por unanimidade determinar a venda de pontos de vendas da Extrafarma em oito cidades com menos de 200 mil habitantes no Nordeste, sendo 5 no Ceará, 2 no Maranhão e 1 no Rio Grande do Norte.

A análise do Cade identificou que a operação poderia prejudicar a concorrência nesses locais. Para evitar efeitos prejudiciais, o tribunal determinou que a venda seja feita para uma empresa maior, com capacidade de competição, dentro de 180 dias.

Somente após a venda dessas lojas para uma empresa com capacidade de competição, que a operação poderá ser concluída. Segundo o relator do processo, conselheiro Gustavo Augusto, já há um interessado em comprar as lojas nas oito localidades que têm capacidade técnica e financeira para competir, a rede Bruno Farma.

— A referida rede tem interesse de adquirir os 8 estabelecimentos, vai ser adquirida por uma única rede. É uma rede que já atua em mais de 10 municípios, tem 19 estabelecimentos e com a compra de mais 8 estabelecimentos passa a ter um porte bem razoável — disse.

A Extrafarma diz ser a sexta maior do país, com presença em 11 estados e 402 unidades, principalmente concentradas no Nordeste. Já a Pague Menos se torna a segunda maior companhia do setor com a concretização da operação, ultrapassando a DPSP, dono da redes Drogaria São Paulo e Pacheco.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos