'Cadeia, imediatamente', diz Damares Alves sobre Robinho

Daniel Gullino
·1 minuto de leitura
Robinho e Santos: contrato suspenso
Robinho e Santos: contrato suspenso

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, defendeu nesta segunda-feira que o jogador Robinho tem que ser preso. Robinho foi condenado em primeira instância na Itália pelo estupro coletivo de uma mulher albanesa, mas recorre da decisão e se diz inocente.

De acordo com Damares, as transcrições de interceptações telefônicas do jogador, divulgadas na sexta-feira pelo site Ge, não deixam dúvidas sobre o caso.

— Cadeia, imediatamente. Não tenho outra palavra para falar. Ainda cabe recurso, mas o vazamentos dos áudios...Querem mais o que? Cadeia. Nenhum estuprador pode ser aplaudido. O cara quer voltar para o campo? — afirmou Damares, antes de uma cerimônia no Palácio do Planalto.

A ministra ressaltou que a condenação não é definita, mas afirmou que o caso está "muito claro" e disse ter ficado com vontade de vomitar ao ler as transcrições de conversas do jogador.

— Eu sei que ainda cabe recurso lá, mas acho que está muito claro — disse. — A sensação que aquilo (transcrições) me causou, enjôo, vontade de vomitar. Foi muito ruim ter lido o que eu li, de um jogador do porte dele.

Para Damares, não se pode fazer nenhuma concessão a estuprador:

— Esse é um crime que não merece nenhuma consideração ao abusador, ao estuprador. A gente não tem que fazer concessão para esse tipo de crime. Tem que cumprir a pena estabelecida, ou lá ou aqui, imediatamente.