Cadela com "cheiro de morte" é salva após ficar com coleira grudada na pele

·2 minuto de leitura
Cadela Margarida é resgatada após ser encontrada com insetos, nós, inflamações e patas amarradas
Cadela Margarida é resgatada após ser encontrada com insetos, nós, inflamações e patas amarradas
  • A cachorrinha Margarida, mistura das raças shih-tzu e poodle, foi adotada com "cheiro de morte"

  • O animal estava rodeado de insetos, com feridas expostas, patas amarradas e coleira grudada na pele

  • A cadela passou a ser tratada pela ONG Viva Bicho Santos, no litoral paulista

A cachorrinha Margarida, mistura das raças shih-tzu e poodle, foi adotada em 11 de setembro com "cheiro de morte". Rodeada de insetos, com feridas expostas, linhas amarrando as patas traseiras e uma coleira grudada na pele em razão da falta de tosa, ela passou a ser tratada pela ONG Viva Bicho Santos, no litoral paulista.

Em entrevista ao portal G1, a presidente da Viva Bicho, Marilucy Pereira, informou que a ONG estava realizando vacinando animais de moradores de São Vicente (SP) quando uma senhora chegou ao local levando sua cadela para ser vacinada. O estado do animal assustou a equipe.

Leia também

"Assim que ela chegou, eu vi o estado do animal . Conversei com ela, pedi para que doasse para a gente, pois ela precisava de cuidados. Ela disse que a última tosa tinha acontecido há um ano. Não me esqueço do cheiro, era um cheiro de morte", contou Marilucy Pereira ao portal G1.

A mulher aceitou doar a cadela, que foi levada para atendimento na sede da ONG. Margarida sentiu dores e tinha dificuldade para andar, mas a equipe não entendeu o motivo. Porém, ao examiná-la, foi possível ver que a coleira estava colada em sua pele e causou várias feridas abertas.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

O animal teve que ser sedado, pois não suportava as dores do procedimento, devido aos inúmeros nós e feridas. Durante a tosa, a equipe encontrou uma linha que estava entrelaçada entre as patas traseiras, o que explica a dificuldade para caminhar. Após retirar o objeto, eles verificaram que havia mais feridas abertas e contaminadas.

"A princípio, era uma tosa comum, mas, quando começamos a tratar, vimos a gravidade do problema. Ela ficou três horas sedada porque a tosa demorou esse tempo e ela sentia muita dor", explica.

Além dos problemas externos, Margarida estava muito abaixo do peso e foi diagnosticada com uma inflamação grave no intestino e no útero, causada por má alimentação, sendo necessária uma cirurgia para tratar a inflamação, que ainda não foi realizada pela condição da cadela.

Após três horas, o pelo do animal foi retirado e as feridas começaram a ser tratadas. Sem insetos percorrendo pelo corpo ou objetos ferindo sua pele, Margarida se mostrou uma cadela dócil e brincalhona.

“Ela é bem dócil, não está mais com dores em relação às feridas, então está super alegre, feliz e brincalhona. Agora a gente vai cuidar dela e encaminhar para a doação. Todo animal precisa de tratamento, seja um vira-lata, ou de raça, ele precisa de alguém que tenha um equilíbrio mental e financeiro para cuidar do animal. A gente precisa desses dois equilíbrios”, explicou Marilucy Pereira.

Margarida aguarda estar em condições físicas para passar pela cirurgia e, após ficar completamente recuperada, será colocada para adoção.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos