CAF decide que Guiné não será sede da Copa Africana de 2025

Última edição da AFCON foi disputada em 2022 em Camarões. Foto: Kepseu/Xinhua via Getty Images
Última edição da AFCON foi disputada em 2022 em Camarões. Foto: Kepseu/Xinhua via Getty Images

A Guiné não será mais a sede da Copa das Nações Africanas de 2025 (AFCON) depois que o país foi considerado fora dos padrões para sediar o torneio continental de futebol.

A decisão da Confederação Africana de Futebol (CAF) surge depois que a entidade máxima do futebol na África ter feito uma visita de dois dias à Guiné para acompanhar o seu progresso na realização do evento que será disputado por 24 equipes.

Leia também:

O país da África Ocidental está sob regime militar desde um golpe no ano passado, com a situação política causando preocupação com a segurança e organização da AFCON.

Apesar disso, a junta militar da Guiné insistiu no final do mês passado que estava comprometida em sediar o torneio, acrescentando que liberaria fundos para ajudar nos preparativos.

O chefe do governo militar da Guiné, coronel Mamady Doumbouya, disse ainda que acolher a AFCON em 2025 é de “interesse nacional e prioritário”.

Apesar do compromisso do presidente interino Doumbouya, a CAF tomou a decisão unânime de encontrar um novo anfitrião. "O comitê executivo foi unânime de que a Guiné não estará pronta para sediar a competição", disse a CAF em comunicado.

As especulações sobre quem assumirá como anfitrião já começaram, com a Nigéria já tendo se apresentado em julho. Na época, a CAF insistiu que o AFCON de 2025 seria realizado na Guiné.

A Guiné deveria inicialmente ser o local da competição em 2023, antes de ser adiada em dois anos quando a lista de nações organizadoras foi reorganizada em 2019, por conta da pandemia de covid-19. O AFCON 2023 será sediado pela Costa do Marfim, mas acontecerá em janeiro e fevereiro de 2024 para evitar a estação chuvosa.