'Café Fake' chama atenção na Amazon do Brasil

Reportagem averiguou que o conteúdo da embalagem era café tradicional torrado e moído, polpa de café e aromatizante (Getty Creative)
Reportagem averiguou que o conteúdo da embalagem era café tradicional torrado e moído, polpa de café e aromatizante (Getty Creative)
  • Composto que se passa por café chamou a atenção e gerou memes

  • Produto da marca Pingo Preto é vendido na Amazon por R$ 14,99

  • Marca garante que rótulo foi verificado junto à Diretoria de Vigilância Sanitária

Depois de novas versões de produtos por conta da alta dos preços, como a mistura láctea e o soro de leite, um novo item alimentício à venda na Amazon chamou a atenção dos consumidores e gerou memes: o pó para preparo de bebida sabor café.

O produto, da marca Pingo Preto, é vendido no site por R$ 14,99 em uma embalagem de 500g. A descrição inicial do suposto pó de café era "Café tradicional Pingo Sabor Café", no entanto, a reportagem do jornal Folha de S. Paulo averiguou que o conteúdo era café tradicional torrado e moído, polpa de café e aromatizante.

O produto, que não se trata de um café de fato, passou a ser chamado nas redes sociais de "Cafake", união das palavras café e fake (falso). Questionada pela reportagem, a Amazon então resolveu trocar a descrição do item para "Pó para Preparo de Bebida Sabor Café Tradicional Pingo Preto".

Em resposta aos questionamentos do jornal, a dona da marca Pingo Preto, o Grupo Jurerê, alegou que se trata de "um composto para preparo de bebida regulamentado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e que, como práxis do processo de qualidade da indústria, teve seu rótulo enviado para verificação junto à Diretoria de Vigilância Sanitária antes do início da produção do produto final".

Para o Procon do estado de Santa Catarina, o anúncio está claro e preciso de acordo com os artigos 30 e 31 da lei nº 8.078/1990, e ressalta que "a fonte da letra e a informação de que se trata de pó para preparo de bebida sabor café tradicional não deixam dúvida aos consumidores". Já o Procon de São Paulo afirmou que o Grupo Jurerê será notificado a prestar esclarecimentos sobre o fato de o composto se passar por café e gerar confusão.