Caged: Brasil cria 316.580 vagas com carteira em julho, na 1ª divulgação da pasta do Trabalho com Onyx à frente

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA – O Brasil criou 316.580 vagas com carteira assinada em julho. Com esse resultado, o país somou 1.848.304 de postos de trabalho no mercado fornal nos sete primeiros meses do ano. Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta quinta-feira (dia 26) pelo Ministério do Trabalho.

Esta foi a primeira divulgação dos dados com a nova pasta, recriada no começo de agosto e comandada por Onyx Lorenzoni.

O mercado de trabalho formal vem registrando forte recuperação desde julho de 2020 – a exceção foi dezembro, que teve saldo negativo. No primeiro semestre, o país registrou criação de 1,5 milhão de novos postos, com destaque para a recuperação dos setores de serviço e comércio.

O avanço na criação de vagas com carteira reflete a melhora da atividade econômica, mas também é uma consequência do programa de manutenção do emprego e renda (BEm), que permite a suspensão de contratos de trabalho e redução de jornada e salários, com um período subsequente de estabilidade no emprego.

Em julho, havia 1,9 milhão de trabalhadores com estabilidade por acordos firmados em 2020, de acordo com dados do governo. O programa foi reeditado em 2021 e voltou a valer no final do mês de abril.

O último dia de vigência do programa é hoje. Até agora, foram firmados 3,2 milhões de acordos.

O Caged apontou avanço em todas as atividades econômicas. Mais uma vez, foi o setor de serviços que teve o melhor desempenho, com geração de 127.751 postos, seguido do comércio, com 74.844 novas vagas.

— Esses dois setores são extremamente dependentes da movimentação das cidades. Fica aqui uma lembrança e um recado aos prefeitos de ontem e prefeitos de hoje: quando as cidades caminham para a normalidade, nós temos de novo esses dois setores respondendo muito fortemente – declarou o ministro do Trabalho.

Os demais resultados positivos foram da indústria (58.845 postos), construção (29.818 vagas) e agropecuária (25.422 postos).

Neste mês também os 27 estados tiveram saldos positivos na geração de emprego formal. Os melhores resultados foram registrados por São Paulo (104.899 postos), Minas Gerais (34.333 postos) e Rio de Janeiro (18.773 postos).

O resultado do Caged segue contrastando com o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Contínua) do IBGE.

Os dados da Pnad mostram que a taxa de desemprego no Brasil está em 14,6% no trimestre encerrado em maio, uma das mais altas da série histórica iniciada em 2012, com quase 15 milhões de desempregados.

A Pnad consPesquisa mostra que só 7% das empresas brasileiras querem abandonar home office após pandemiaidera vagas formais e informais e apresenta dados trimestrais. Já as informações do Caged refletem números mensais apenas de empregos formais.

A Pesquisa do IBGE também considera trabalhadores por conta própria e funcionários públicos, ao passo que o Caged só considera aqueles que trabalham com carteira de trabalho assinada.


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos