Caio relembra pé imobilizado no 'BBB21' e receio de convívio na casa: 'Não é que eu seja bicho do mato'

Extra
·2 minuto de leitura

"Foi desesperador". É assim que Caio descreve o momento em que se viu com o pé imobilizado durante o "Big Brother Brasil 21". O sentimento está relacionado pelo goiano ter se visto fora de provas importantes na competição e também por ter dificuldades em pedir ajuda.

"Primeiro, porque eu sempre busquei na minha vida fazer o meu máximo sem pedir ou depender de ninguém. Eu tenho problema para pedir coisas para as pessoas e, de uma hora para a outra, eu me vi numa situação em que eu precisava fazer isso quase que o tempo todo. Fiquei preocupado também por estar fora de algumas provas. Ainda tinha dor que eu sentia. Foi uma loucura", relembra Caio.

O ex-participante do "BBB21" teve a opção de desistir do reality show da Rede Globo sem sofrer as sanções contratuais. O fazendeiro tinha um objetivo muito maior ao entrar na casa mais vigiada do país, por isso decidiu permanecer.

"O que me motivou a continuar foi o meu objetivo de entrar, ficar longe da minha família por um tempo, para depois voltar para ela com coisas boas. Dar dois passos para trás para depois dar cinco para frente. Eu já estava lá e, se eu tinha me machucado lá, eu ia tentar superar lá dentro mesmo. Coloquei isso como meta – foi difícil amadurecer essa ideia – e tentei me agarrar a ela. E, claro, o Rodolffo me ajudou demais nesse sentido. A casa toda me ajudou muito, todo mundo teve compaixão comigo. Mas o Rodolffo estava ali do meu lado, dizendo que ia passar. Isso me deu força para vencer esse desafio."

Falando no cantor sertanejo, foi graças a ele que Caio se sentiu mais a vontade no confinamento. O goiano confessa que teve medo do convívio com 19 pessoas.

"Eu mexo com fazenda, então tenho um lado muito sozinho durante o dia. Quando eu entrei, tinha muito medo do convívio com mais 19 pessoas que eu não conhecia. Não que eu seja bicho do mato, mas eu tinha receio das relações. Eu me perguntava como eu faria lá dentro, com quem eu iria conversar, se iriam gostar de mim ou não. Então, deu muito certo com o Rodolffo por sermos muito parecidos. Foi um prazer imenso para mim dividir esses momentos com ele, ver tudo o que ele fez por mim, o tanto que ele me ajudou... Eu pensei em sair por conta do machucado no pé e ele falava ‘Caio, relaxa, tenha calma’. Pelo lado fã, foi uma emoção muito grande. Logo no primeiro dia – eu tinha acabado de entrar na casa – e ele estava lá. Foi uma surpresa boa demais. Eu fiquei muito feliz por ter tido essa amizade com ele lá dentro e ter saído com ela. Quando ele me entregou o boné antes de deixar a casa, eu fiquei bastante emocionado. Foi muito gratificante ter vivido isso lá dentro, com ele participando dos meus quase 100% do programa".