Caito Maia: As pessoas não procuram ‘óculos escuros’, elas procuram Chilli Beans.

·1 min de leitura

Caito Maia, CEO e fundador da famosa Chilli Beans, avalia que o começo da marca foi difícil. “Tudo que é novo tem um preço, tudo que é quebrador de barreira tem um custo”, desabafa. O conceito de quiosques também foi inovador, e hoje são 25 anos de inovação na hora de vender óculos escuros.

Atualmente, a Chilli Beans é a maior empresa de venda de óculos da América Latina. Possui mais de 800 franquias distribuídas pelo mundo.

Mesmo com cerca de 4 meses de lojas fechadas, a empresa usou o período da pandemia para refazer seu portfólio, rever produtos e colocar mais óculos nas prateleiras. Para o CEO, o processo foi semelhante em todo o setor.

“Entender como o mercado mudou, que caminho ele tomou e como adaptar o negócio para a realidade do momento”. O site da 'pimenta' ‘cresceu’ 600% em vendas no período em que as lojas estavam de portas fechadas.

O projeto Ótica Chilli Beans, mais madura, como Caito se refere, é a nova aposta da marca de 25 anos. A empresa quer conversar com o público de 30 a 130 anos de idade. “Quando você vai para um mercado que consome 4x mais que óculos escuros, com epidemias de miopia com 30% a mais de consumidores precisando de lentes por conta do uso de celulares e computadores, você se torna uma ‘pimenta’ bem atraente para o mercado.

Em 2022, Caito, que também é um dos tubarões do reality Shark Tank Brasil, pretende lançar um instituto de empreendedorismo online. “Pegar negócios que já existem e fazer dar lucro. Falar com jovens que não tem ideias de marketing ou financeiro e treinar essas pessoas”, contou o empresário. Além disso, o plano conta com empregabilidade e pagamento de salários dos jovens envolvidos no projeto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos