Caixa deposita novas parcelas do auxílio emergencial a trabalhadores nascidos de março e abril nesta terça-feira

1 / 2

auxílio.jpg

O auxílio emergencial, por enquanto, só pode ser usado para compras e pagamentos de contas via aplicativo Caixa Tem

Os trabalhadores que não recebem o Bolsa Família — informais, autônomos, microempreendedores individuais (MEIs), desempregados sem direito a seguro-desemprego e outros inscritos no Cadastro Único — e nasceram nos meses de março e abril terão uma nova parcela do auxílio emergencial depositada em suas contas poupanças sociais digitais nesta terça-feira (dia 30). Neste grupo, estão pessoas que esperam a terceira parcela do benefício, mas também cidadãos que ainda aguardam a segunda e até a primeira cota, pois tiveram a ajuda liberada tardiamente pela Dataprev (empresa do governo responsável pelo processamento dos pedidos).

Vale lembrar, no entanto, que o dinheiro será depositado nas contas digitais abertas exclusivamente para este fim. O crédito será feito de acordo com o mês de nascimento, até 4 de julho (confira o calendário abaixo). Mas ainda não será possível retirar a quantia em espécie.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)

No primeiro momento, o trabalhador poderá movimentar os recursos apenas via aplicativo Caixa Tem. Dessa forma, os beneficiados poderão pagar contas pelo app (como as de água, luz e telefone) e fazer compras em lojas, farmácias e supermercados (com a utilização de um cartão de crédito virtual gerado na hora ou o uso de QR Code, espelhando o celular com a maquininha do estabelecimento comercial para fazer o pagamento).

Somente depois a Caixa vai liberar o saque em dinheiro, também de acordo com o mês de nascimento, assim como as transferências bancárias para outras contas, sem ônus. Os valores pagos são de R$ 600 e R$ 1.200 (apenas para mães chefes de família).

 

A demora em liberar os novos calendários — da primeira, da segunda e da terceira parcelas — gerou muitas críticas de trabalhadores nas redes sociais. A insatisfação tornou-se ainda mais depois da divulgação dos novos cronogramas, na última sexta-feira (dia 26). Pelas datas anunciadas, os nascidos de julho a dezembro só poderão sacar o auxílio em espécie no mês de setembro.

No caso da terceira parcela,31 milhões de pessoas esperam o pagamento. A segunda parcela será paga a 8,7 milhões de cidadãos que tiveram atrasos no processamento de seus pedidos de benefício e só receberam a primeira cota em maio. Há também 1,1 milhão de novos beneficiários que ainda vão receber a primeira.

Dessa forma, o governo estima pagar o auxílio a cerca de 40 milhões de trabalhadores. No total, a Caixa vai liberar R$ 19,7 bilhões para a terceira parcela, R$ 5,5 bilhões para a segunda e R$ 700 milhões para a primeira.