Caixa libera novos pagamentos do auxílio emergencial; Confira o calendário

Extra
Os saques em dinheiro só estarão disponíveis em novembro
Os saques em dinheiro só estarão disponíveis em novembro

A Caixa realiza nesta sexta-feira (dia 9) o pagamento de R$ 1,6 bilhão do auxílio emergencial para 3,6 milhões de beneficiários nascidos em abril. Os depósitos se referem ao ciclo 3 de pagamentos.

Entenda: Saiba como recorrer caso tenha o auxílio emergencial de R$ 300 negado

Desse total, 1,4 milhão receberão R$ 900 milhões referentes as parcelas do auxílio emergencial. Os demais, 2,2 milhões, serão contemplados com a primeira parcela da prorrogação do benefício, em um montante de R$ 700 milhões.

A partir desta data, os valores podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos, compras na internet e pelas maquininhas em mais de um milhão de estabelecimentos comerciais.

Os saques em dinheiro e transferências para quem recebe o crédito nesta sexta-feira serão liberados a partir do dia 21 de novembro.

Calendário:

No próximo domingo, 3,8 milhões de trabalhadores nascidos em maio começam a receber os depósitos nas contas digitais. Para este grupo, o saque em dinheiro só estará liberado também no dia 21 de novembro.

Os nascidos em junho recebem os pagamentos do ciclo 3 do auxílio na próxima quarta-feira, dia 14 de outubro. Serão cerca de 3,6 milhões de pessoas. Os saques poderão ser feitos somente no dia 24 de novembro.

Ainda na próxima semana, na sexta-feira, dia 16, 3,6 milhões de trabalhadores nascidos em julho receberão os depósitos em conta e os saques serão disponibilizados somente em 26 de novembro.

Confira tudo sobre PIX:

Parcela extras

O benefício criado em abril pelo governo federal foi estendido até 31 de dezembro por meio da Medida Provisória (MP) nº 1000. Serão quatro parcelas extras de R$ 300,00 cada e, no caso das mães chefes de família monoparental, o valor é de R$ 600,00.

Não há necessidade de novo requerimento para receber a extensão do auxílio. Somente aqueles que já foram beneficiados. Segundo o governo, a partir de agora, se enquadram nos novos requisitos estabelecidos na MP, terão direito a continuar recebendo o benefício.