Caixa tem filas pontuais no 1º saque do auxílio emergencial do Bolsa Família

CLAYTON CASTELANI E LAÍSA DALL'AGNOL
·3 minuto de leitura
SÃO PAULO, SP, 16.04.2021: Fila em agência da Caixa na av. Nordestina - Caixa começa a pagar, nesta sexta-feira (16), o auxílio emergencial para o público do Bolsa Família. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 16.04.2021: Fila em agência da Caixa na av. Nordestina - Caixa começa a pagar, nesta sexta-feira (16), o auxílio emergencial para o público do Bolsa Família. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Beneficiários do programa Bolsa Família começaram a sacar nesta sexta-feira (16) a primeira parcela do auxílio emergencial de 2021 e houve formação de filas para o acesso a algumas agências da Caixa Econômica Federal na zona leste da cidade de São Paulo.

Em São Miguel Paulista e em Sapopemba, assim que as portas foram abertas ao público, às 8h, as duas agências localizadas nesses bairros já tinham filas que contornavam parcialmente seus respectivos quarteirões.

A procura pelo atendimento bancário presencial da Caixa, porém, era menor em outros bairros. Em Itaquera, também na zona leste, apenas um pequeno grupo aguardava atendimento no início desta manhã.

Uma movimentação mínima de clientes também foi observada em outras regiões da cidade, como em duas unidades no Brás e uma na Aclimação (região central).

Mesmo em áreas com maior concentração de população de baixa renda, como em Heliópolis e São João Clímaco (zona sul), poucas pessoas foram ao banco. Na mesma região da cidade, uma agência próxima ao Largo 13 de Maio, em Santo Amaro, estava praticamente vazia.

Em três unidades localizadas na Vila Mariana, Vila Clementino e Planalto Paulista (todas na zona sul), nem sequer beneficiários em busca do auxílio foram encontrados pela reportagem. Na maior parte dos casos, o público buscava informações sobre saques do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Em uma das agências um funcionário informou a data errada para início do saque do Bolsa Família. "Deve ser no domingo", comentou.

A Caixa informou que em suas mais de 4.200 agências, apenas algumas apresentam filas e que isso ocorre em situações pontuais. O banco ainda afirmou que "segue na linha de frente atendendo a população que mais precisa".

Quem é beneficiário do Bolsa Família continua tendo direito à transferência de renda nas mesmas datas e da mesma forma que já vinha recebendo o dinheiro. Mas com o retorno do auxílio emergencial, esse público passa a ter direito ao benefício com maior valor.

As parcelas do auxílio emergencial 2021 podem ser de R$ 150, R$ 250 ou R$ 375, a depender da composição familiar do beneficiário:

As famílias, em geral, recebem R$ 250 A família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375 Pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150 Somente quem já recebeu o auxílio emergencial em 2020 pode voltar a receber o benefício em 2021, caso tenha sido considerado apto a se tornar novamente beneficiário após ter sua condição financeira e composição familiar analisados pela Dataprev (empresa de tecnologia da Previdência). Veja ao final do texto respostas sobre os critérios de elegibilidade do auxílio emergencial 2021.

Quem ingressou no auxílio emergencial por meio de inscrição no site da Caixa Econômica Federal ou foi aprovado pela análise do Cadastro Único poderá sacar a primeira parcela a partir de 30 de abril.

Nesta sexta-feira, o pagamento da primeira parcela do auxílio emergencial 2021 foi destinado para beneficiários do Bolsa Família com número 1 no final do NIS.

O pagamento do auxílio é realizado da mesma forma e nas mesmas datas do benefício regular para quem recebe o Bolsa Família.

Para quem recebe por meio da poupança social digital, os recursos podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem ou sacados por meio do Cartão Bolsa Família ou Cartão Cidadão.