Calçadão de Piratininga: trecho destruído por ressaca não tem previsão de reparo

Problema crônico, a destruição da encosta e do calçadão após episódios de ressaca é recorrente na Praia de Piratininga. Antes mesmo da conclusão de uma obra de contenção e da reurbanização de um trecho da orla no canto esquerdo, prevista para agosto, outra área foi destruída por uma ressaca no final do mês passado, e não há previsão de obras no local.

Ocupação: Esporte e cultura fazem renascer o bairro de Boa Viagem, em Niterói

Projeto: Niterói fará novo Plano Urbanístico, com mudanças nas regras para construções

Moradores do bairro usam as redes sociais para chamar a atenção das autoridades, destacando que o acesso a alguns trechos e quiosques está comprometido, atrapalhando também o comércio local.

“A Praia de Piratininga pede ajuda. Depois da ressaca dos últimos dias não tem como descer para a areia. Os quiosqueiros estão tendo que se virar sozinhos. A prefeitura poderia olhar com mais atenção”, diz a postagem de uma moradora que registrou os estragos.

Em nota, a Secretaria municipal de Obras (SMO) diz que a contenção feita, localizada na área mais atingida pela ressaca, tem 346 metros, e que, no momento, não conta com projeto para estender a obra a novos trechos. “A intervenção que está sendo realizada também inclui a construção de cinco escadas de acesso: uma entre os quiosques 2 e 3, em frente aos quiosques 4, 5, 6, e outra em frente ao novo posto salva-vidas do Corpo de Bombeiros. Sobre o andamento da obra, a SMO ressalta que o muro de contenção de cortina atirantada está concluído e, agora, está sendo feita a reurbanização do calçadão. A previsão de término destas intervenções é agosto deste ano”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos