Calcinha é usada para justificar estupro na Irlanda

Reprodução/Independent

Uma calcinha “fio-dental” foi usada por Elizabeth O’Connell na defesa de um estuprador, de 27 anos, como justificava do crime na Irlanda. A advogada levantou e segurou a roupa íntima em frente à corte e pressionou o júri dizendo: “vocês precisam ver a forma como a garota estava vestida. Ela estava usando um fio-dental com um laço na frente”. Ela obteve sucesso e o país tem se manifestado contra.

O portal Universa, do UOL, traz a declaração que a chefe do Centro de Crise de Estupro, Noeline Blackwell, deu ao “Independent”, jornal inglês. “Esses mitos e estereótipos em cima do estupro são reproduzidos várias vezes em julgamentos, porque a defesa sempre alega que foi consensual. Então qualquer coisa que o advogado de defesa use para sugerir que foi consensual, ele fará”, reforçou.

LEIA MAIS:
‘Caso Daniel’: Suspeito diz que Cristiana não acusou Daniel de estupro
Menina estuprada em presídio visitava o pai em ala de presos por crimes sexuais
Médico acusado de estupro é alvo de novas denúncias de estupro

Além das manifestações nas ruas, diversas internautas no Twitter criaram a hashtag #ThisIsNotConsent (“isso não é consentindo”, em português) depois do julgamento. Com ela, as mulheres estão compartilhando fotos de suas próprias calcinhas e reforçando que o modo de se vestir não representa consensualidade sexual.