Calendário esportivo de 2022 tem Copa, Olimpíadas de Inverno e Mundiais remarcados na pandemia

·2 min de leitura
giant soccer football sculpture soccer made for the world cup Qatar
giant soccer football sculpture soccer made for the world cup Qatar

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma agenda mais próxima da normalidade, mesmo que ainda inchada por competições adiadas em razão da Covid-19. É o que se espera do calendário esportivo em 2022. 

No futebol, o primeiro grande evento será o pendente Mundial de Clubes da temporada passada, realizado depois das férias pela segunda vez consecutiva e novamente com a presença do Palmeiras. 

A atração mais aguardada é a Copa do Mundo. E a espera será longa, pois o torneio foi deslocado para o fim do ano — não por causa da pandemia, mas pelas condições climáticas no Qatar. Brasil e mais 12 países já garantiram vagas, e as outras 19 serão decididas até março. 

Os holofotes estarão voltados principalmente para a repescagem europeia. O novo formato de disputa, com semifinais e finais em duelos únicos e eliminatórios, promete ainda mais emoção. Como se não bastasse ver Cristiano Ronaldo, Robert Lewandowski e outras estrelas na berlinda. 

No Brasil, a CBF manteve os campeonatos estaduais em 16 datas, até o início de abril. Com o cronograma ainda mais apertado por conta do Mundial, as competições nacionais e continentais terminarão um pouco antes do normal: os vencedores da Copa do Brasil, da Sul-Americana e da Libertadores serão conhecidos ainda em outubro. 

A programação também está repleta nas modalidades olímpicas, pois o ano concentrará campeonatos mundiais que já estavam previstos — como os de vôlei e de basquete feminino — e outros remarcados durante a pandemia — casos da natação, do atletismo e do vôlei de praia. 

Outro destaque são as Olimpíadas de Inverno. Pequim se tornará a primeira cidade a receber as duas versões da competição, depois de ter sediado os Jogos de Verão em 2008. A escolha, porém, gerou uma crise e levou ao boicote diplomático de países como Estados Unidos, Reino Unido e Austrália. O Brasil estará representado em ao menos duas provas: esqui cross country e esqui alpino. 

No mais, a previsão é que a maioria das competições seja realizada nos moldes pré-pandêmicos. Os circuitos mundiais de tênis, surfe e Fórmula 1, por exemplo, divulgaram agendas cheias para o ano. A principal categoria do automobilismo, inclusive, prevê a maior temporada de sua história, com 23 corridas. 

Apesar da expectativa pela normalidade, sempre vale ressaltar que a pandemia não acabou e pode voltar a causar adiamentos ou transferências, como no caso da Copa América de Futsal. Após um impasse com a Conmebol relativo às medidas sanitárias vigentes no Brasil, a CBF solicitou o cancelamento do torneio, marcado para começar em 29 de janeiro, no Rio. 

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos