Califórnia é abalada por assassinatos em massa consecutivos

Pessoas se reúnem para uma vigília após chacina em Monterey Park

Por Tim Reid e Daniel Trotta

MONTEREY PARK (Reuters) - Apenas dois dias depois que um atirador matou 11 pessoas em um estúdio de dança na área de Los Angeles, mais sete vítimas foram mortas a tiros em uma região agrícola perto de San Francisco, com a Califórnia sofrendo uma das mais sangrentas ondas de violência armada em massa em décadas.

Autoridades disseram que não identificaram o motivo dos ataques, o que parecia especialmente desconcertante em parte porque os suspeitos de cada um deles são homens em idade de aposentadoria, muito mais velhos do que o típico para autores de tiroteios em massa que se tornaram rotina nos Estados Unidos.

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, disse que estava visitando sobreviventes feridos do massacre de sábado à noite no subúrbio de Monterey Park, em Los Angeles, quando foi informado dos assassinatos de segunda-feira no norte da Califórnia.

"Tragédia após tragédia", escreveu Newsom no Twitter.

Os tiroteios consecutivos pareciam ter pouco em comum.

O mais recente atingiu a cidade costeira de Half Moon Bay, cerca de 48 km ao sul de San Francisco, onde um atirador abriu fogo contra grupos de trabalhadores agrícolas em dois locais, deixando um total de sete mortos e um gravemente ferido, antes de fugir.

O acusado, identificado como Chunli Zhao, de 67 anos, foi detido pouco tempo depois, ao ser encontrado sentado em seu veículo, estacionado em frente a uma delegacia, onde as autoridades disseram acreditar que ele tinha ido para se entregar.

Uma arma semiautomática foi encontrada em seu carro, afirmou a xerife do condado de San Mateo, Christina Corpus, em entrevista coletiva à noite.

Corpus disse que o suspeito, que estava "cooperando totalmente" com os investigadores após a prisão, havia trabalhado em uma das duas cenas do crime. Ela descreveu os locais como "creches" agrícolas, onde alguns dos trabalhadores também viviam. A mídia informou que um local era uma fazenda de cogumelos.

Em um incidente separado na área da baía na noite de segunda-feira que chamou muito menos atenção, uma pessoa foi morta e sete ficaram feridas em um "tiroteio entre vários indivíduos" em Oakland, informou a polícia, em circunstâncias que sugerem um caso de violência de gangue. A polícia deu poucos detalhes, mas disse que as vítimas sobreviventes foram todas para hospitais da região.

As notícias do massacre em Half Moon Bay surgiram enquanto a polícia trabalhava em um segundo dia inteiro de investigação sobre o tiroteio no Star Ballroom Dance Studio em Monterey Park, a leste do centro de Los Angeles, onde um atirador matou 11 pessoas. Outras nove ficaram feridas.

Autoridades disseram que o suspeito, Huu Can Tran, de 72 anos, invadiu um segundo salão de dança, mas foi confrontado pelo dirigente do clube, em uma breve briga.

Tran, ele próprio um patrono de longa data do Star Ballroom, atendendo principalmente a entusiastas de dança mais velhos, fugiu novamente e desapareceu durante a noite. Ele se matou com um tiro em seu veículo de fuga estacionado, uma van de carga, na manhã de domingo, cerca de 12 horas após o ataque, quando a polícia o cercava na cidade de Torrance, ao sul de Los Angeles, disseram as autoridades.