Calor extremo tira a vida a centenas na Europa Ocidental

A Europa Ocidental tem vivido dias de calor extremo, com temperaturas elevadas em vários países do sul mas também no Reino unido, que está em alerta vermelho pela primeira vez.

Para esta semana, esperam-se temperaturas acima dos 35 graus em território britânico e algumas zonas do sul de Inglaterra pode chegar aos 40 graus. Fenómeno raro.

"No ano passado (...) estava tudo completamente inundado de chuva"

Os cientistas culpam as alterações climáticas e as pessoas acreditam cada vez mais na argumentação científica.

Abu Bakr, britânico, conta que antigamente não acreditava nas alterações climáticas, "pensava que era tudo apenas política". Agora, diz que o problema do clima "é sério" e que o mundo precisa "de fazer alguma coisa" para salvar o planeta e as gerações futuras.

O mesmo diz Mollie Marsh, estudante britânica: "É aterrorizante", conta, enquanto recorda o mesmo dia 16 de julho mas do ano passado: "No ano passado (...) estava tudo completamente inundado de chuva", relata. "Estávamos a pensar em como este ano é diferente do ano passado. Isso assusta-me muito e é real.", conclui a jovem.

Onda de calor já matou centenas de pessoas

Em Espanha, esta onda de calor foi responsável pela morte de 360 pessoas. Em Portugal, 659 pessoas perderam a vida devido às altas temperaturas.

Os termómetros em algumas cidades espanholas, incluindo em Madrid, atingiram os 46 graus. Em França, o alerta laranja foi atribuído a 16 departamentos.

Dias de muito calor e dias de muitos incêndios que levaram o sul europeu a evacuar dezenas de localidades. Esta semana trará temperaturas mais baixas, mesmo assim, o calor não vai embora tão cedo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos