"Câmara de gás na viatura": PRF diz que técnica usada é 'de menor potencial ofensivo'

Imagens publicadas em redes sociais mostram policiais transformando viatura em câmara de gás. (Foto: Reprodução)
Imagens publicadas em redes sociais mostram policiais transformando viatura em câmara de gás. (Foto: Reprodução)
  • Imagens mostram agentes colocando homem em viatura e fazendo "câmara de gás"

  • IML confirmou morte por asfixia e insuficiência respiratória

  • PRF afirma que vítima resistiu à abordagem

Em nota, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) afirmou que agentes usaram “técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo”, em abordagem que resultou na morte de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, em Sergipe. O homem negro foi imobilizado por policiais da PRF e colocado no porta-malas de uma viatura e morreu de asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda, segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML).

“Na data de hoje, 25 de maio de 2022, durante ação policial na BR-101, em Umbaúba-SE, um homem de 38 anos resistiu ativamente a uma abordagem de uma equipe PRF. Em razão da sua agressividade, foram empregados técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo para sua contenção e o indivíduo foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil em Umbaúba”, afirma a nota.

Segundo a SSP, mais exames estão sendo feitos, mas o corpo já foi liberado do IML para o velório, que ocorre na casa de sua mãe, no povoado Mangabeira, em Santa Luzia do Itanhy. A vítima era casada e deixa um filho.

De acordo com a família, o homem tinha esquizofrenia e tomava remédios controlados há cerca de 20 anos.

“Durante o deslocamento, o abordado veio a passar mal e socorrido de imediato ao Hospital José Nailson Moura, onde posteriormente foi atendido e constatado o óbito”, relata a nota da corporação. “A equipe registrou a ocorrência na Polícia Judiciária, que irá apurar o caso. A Polícia Rodoviária Federal em Sergipe lamenta o ocorrido e informa que foi aberto procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos policiais envolvidos”.

A Polícia Federal também irá averiguar as circunstâncias da morte de Genivaldo. A situação é acompanhada pela Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe, que disse em nota que "tem respeito pelas instituições, mas não compactua com qualquer tipo de violência ou de tortura".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos