Câmeras registraram suspeitos entrando no prédio em que idosa e diarista foram mortas

Criminosos foram flagrados deixando edifício em que idosa e diarista foram assassinadas. (Foto: Reprodução)
Criminosos foram flagrados deixando edifício em que idosa e diarista foram assassinadas. (Foto: Reprodução)

Gravação feita pelas câmeras de segurança da Avenida Ruy Barbosa, no Rio de Janeiro, registraram os dois suspeitos pelos assassinatos em um prédio de luxo no Flamengo na última quinta-feira (9). Os homens ficaram por três horas junto com Martha Maria Lopes Pontes, de 77 anos, proprietária do apartamento, e com Alice Fernandes da Silva, de 51 anos, sua diarista.

As filmagens foram captadas por câmeras de alta resolução instaladas em prédios da região e já foram entregues à Polícia Civil. As informações são do G1.

Na tarde de sexta (10), Jonatan Correia Damasceno, um dos pintores que fizeram um trabalho no apartamento, foi preso na favela de Acari, na Zona Norte do Rio. De acordo com a polícia, o rapaz confessou participação no crime e contou que o outro pintor era William Oliveira Fonseca, que está foragido.

Neste sábado (11), o Tribunal de Justiça do Rio decretou a prisão temporária de Fonseca.

Os dois rapazes foram autorizados a entrar no edifício de luxo por volta das 13h36. Um deles vestia um casaco preto e o outro uma roupa vermelha. Ao deixarem o local às 16h41 os homens seguiram em direção à estação de metrô. Eles também foram capturados pela câmera de dentro do elevador do condomínio da idosa.

Os corpos de Martha Maria e Alice foram encontrados no interior do imóvel. Ambas estavam com o pescoço cortado e o da dona do imóvel estava carbonizada.

De acordo com a investigação da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), Jonatan foi ao banco e fez três saques de R$ 5 mil cada durante o período em que Wiliam manteve as mulheres reféns. Os cheques eram de Martha.

O filho de Alice disse à polícia que os dois suspeitos realizaram a pintura do imóvel e que eles tentaram extorquir a dona do apartamento.

A polícia busca William Oliveira Fonseca. De acordo com os agentes da DHC, os dois serão indiciados por três crimes: latrocínio, que é o roubo seguido de morte; extorsão e pelo incêndio no apartamento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos