Seselj recorrerá à condenação e diz que cometeria crimes novamente

Belgrado, 11 abr (EFE).- O ultranacionalista sérvio Vojislav Seselj anunciou nesta quarta-feira que recorrerá à sentença de dez anos de prisão ditada em Haia por crimes contra a humanidade e garantiu faria tudo de novo se pudesse.

Seselj declarou à imprensa sérvia que pedirá a revisão da decisão judicial definitiva por considerar que a sentença com a qual foi absolvido de 2016 não pode ser revertida sem um novo julgamento.

Além disso, disse se sentir "muito orgulhoso" dos crimes de guerra e contra a humanidade pelos quais é responsabilizado e afirmou que está disposto "a repeti-los futuramente em múltiplas ocasiões".

Seselj foi condenado nesta quarta-feira pelo Mecanismo para os Tribunais Penais Internacionais (MICT) da ONU, após ter sido absolvido em primeira instância em março de 2016.

Hoje foi considerado culpado de três crimes contra a humanidade, incluindo a perseguição e deportação de milhares de croatas da Sérvia durante a guerra na Croácia no início dos anos 90.

O ultranacionalista não voltará à prisão porque já cumpriu a pena durante o tempo em que ficou detido em Haia de 2003 a 2014. EFE