Camila Pitanga, Maria Rita, Dira Paes e outras famosas criticam novo manual do governo sobre aborto

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Diversas artistas famosas foram às redes sociais protestar contra o novo manual do Ministério da Saúde que versa sobre a orientação dada às mulheres vítimas de violência sexual nas unidades de públicas de saúde. A minuta do manual, vazada no início deste mês, causou indignação de organizações de defesa das mulheres por supostamente dificultar o acesso ao aborto legal.

As atrizes Camila Pitanga, Ana Hikari e Dira Paes, as cantoras Teresa Cristina e Maria Rita, além da apresentadora Marcela McGowan foram algumas das personalidades que protestaram contra o documento. Elas chamaram atenção para a audiência pública marcada pelo Ministério da Saúde na manhã desta terça-feira que tinha como objetivo discutir o conteúdo do manual. O ator Gregório Duvivier e o diretor Kleber Mendonça Filho também engrossaram o coro da campanha.

A minuta foi elaborada pelo secretário de Atenção Primária à Saúde da pasta, Raphael Câmara, que é declaradamente contra o aborto. Um dos trechos do manual que levantou controvérsia diz que "todo aborto é um crime". A afirmação vai contra o próprio código penal, no qual as situações legais de aborto estão previstas nos incisos do artigo 128.

Segundo o Movimento por Acolhimento, uma das organizações que se colocou contra o documento, "dentre inúmeros retrocessos, o manual prevê a investigação criminal de meninas e mulheres violentadas que acessam o serviço de aborto legal, orienta que haja uma idade gestacional limite para o procedimento".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos