Campanha da cédula de R$ 200 gastou mais que a de prevenção à Covid

·1 min de leitura
Nota de R$ 200
Cédula de R$ 200 representa 1,11% de todas as notas em circulação

(Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

  • Campanha da cédula de R$ 200 recebeu mais investimentos do que a de prevenção à Covid-19

  • Enquanto a divulgação da nova nota é 6º maior gasto, a de cuidados na pandemia está em 9º lugar

  • Levantamento usou dados da Secom entre 2020 e 2021

A cédula de R$ 200, lançada em setembro de 2020, recebeu mais investimento em divulgação do que as campanhas de prevenção contra a Covid-19. As informações foram obtidas pelo jornal O Globo.

De acordo com o levantamento, feito com base nos pagamentos da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) em 2020 e 2021, o governo Jair Bolsonaro (sem partido) desembolsou R$ 18,8 milhões com as propagandas sobre a nova cédula, contra R$ 14,4 milhões gastos nas com os cuidados durante a pandemia.

Leia também: 

Atualmente, a cédula de R$ 200 representa 1,11% de todas as notas em circulação, segundo o Sistema de Administração do Meio Ambiente. A quantidade é menor que as de R$ 1 em circulação, que não é mais produzida.

Propagandas de “cuidado precoce” foram priorizadas

Enquanto a campanha de divulgação da cédula ocupa o sexto lugar no ranking com os maiores investimentos, as propagandas de prevenção representam o nono maior gasto e também recebeu menos dinheiro (R$ 4,1 milhões) do que as publicidades com “cuidado precoce”, para as quais foram destinados R$ 18,5 milhões.

O termo é utilizado na Secom para referir-se à busca por um médico antes do agravamento da Covid-19. Jair Bolsonaro falava em “tratamento precoce” quando apontava medicamentos contra a doença sem comprovação científica, como a hidroxicloroquina e ivermectina.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos