Campanha da Embratur por turismo pós-coronavírus diz que 'por enquanto, é melhor ficar em casa'

BRASÍLIA - Diante da paralisação causada pelo novo coronavírus, a Embratur (Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo) e o Ministério do Turismo lançam nesta quinta-feira uma campanha, nas redes sociais, alertando turistas estrangeiros de que "por enquanto, é melhor ficar em casa", mas convidando estrangeiros a vir ao Brasil quando a crise que colocou parte do mundo em quarentena terminar. Foram produzidas versões em português, espanhol e inglês de um vídeo de 38 segundos.

- Você é muito querido e desejado pelo Brasil. Mas, por enquanto, é melhor ficar em casa e curtir cada momento com quem você ama. Sabemos que é difícil ficar longe de um país tão lindo, envolvente e único, mas a causa é nobre e é pelo bem de todos. Você é nosso convidado mais que especial para se apaixonar por um país continental e bonito por natureza. Então, quando tudo estiver bem, venha amar e se encantar com o Brasil - diz o texto narrado em português, enquanto são exibidas imagens de pontos turísticos do país, como o Cristo Redentor, no Rio.

A orientação de permanecer em casa contrasta com o discurso adotado esta semana pelo presidente Jair Bolsonaro, que pregou o retorno à normalidade e o "isolamento vertical", restrito a idosos e pessoas com comorbidades, doenças pré-existentes. De acordo com o presidente da Embratur, Gilson Machado, se reuniu com Bolsonaro na tarde de quarta-feira e disse que o presidente lhe pediu para fortalecer a agência durante a pandemia da Covid-19.

- Assim que terminar, o Brasil mais do que nunca vai precisar da Embratur forte - declarou Machado, um dos mais próximos auxiliares do presidente.

- A nossa atividade é a primeira que sofre com a crise e a última que sai, porque o turismo demanda muita mão-de-obra, é uma atividade muito complexa, com capilaridade em vários setores. E, depois de uma crise dessa, as pessoas primeiro fazem as necessidades de primeira urgência, como alimentação, como escola, transporte. E depois é que elas vão viajar. Não é fácil - comentou.

Questionado com que prazo trabalha para a paralisação do turismo no país, ele lembrou que cada país tem a sua própria legislação e orientação sobre o isolamento de sua respectiva população e citou o Japão, que liberou seus cidadãos para viajar. Já o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, impôs até o momento um prazo para meados de abril, apontou Machado.

Com a marca da Embratur -"Brazil, visit and love us" (Brasil, visite e nos ame)- e da pasta comandada pelo ministro Marcelo Álvaro Antônio, o vídeo termina com a mensagem "Brazil You Want it! We Got It!" (Brasil, você quer, nós temos).

Ainda segundo Machado, a Embratur vem aproveitando o hiato para capacitar os seus servidores e continua em contato com as operadores de turismo. Além disso, integra um grupo de trabalho de repatriação dos brasileiros que estão no exterior. Até o momento, ele contou que cerca de 6.500 cidadãos retornaram ao país, e ainda faltam aproximadamente 12 mil.

Até o momento, a Embratur só se manifestou uma vez sobre o novo coronavírus nas redes sociais, na quarta-feira da semana passada, orientando turistas a remarcar sua viagem.

"O mundo está passando por um período crítico, de risco e entendemos que se prevenir contra o coronavírus é a escolha mais sensata. Portanto, pela segurança de todos, inclusive a sua, aconselhamos que você continue acompanhando as notícias referentes a esse assunto e, dessa forma, remarque a sua viagem para o Brasil em um período mais adequado. Seguindo esse protocolo, será mais seguro estar e se apaixonar pelo nosso Paraíso Tropical", diz o post.