Campanha de Bolsonaro recebeu doação de investigados por financiar ato golpista

Apoiadores de Bolsonaro contribuíram para a tentativa de reeleição do ex-presidente

Ex-presidente Jair Bolsonaro (Foto: MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
Ex-presidente Jair Bolsonaro (Foto: MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
  • Investigados pela PF doaram para campanha de reeleição de Jair Bolsonaro;

  • Valores são pequenos, mas fazem parte de movimento realizado por bolsonaristas durante as eleições;

  • Atos golpistas de 8 de janeiro destruíram a Praça dos Três Poderes em Brasília.

A campanha eleitoral do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu doação de investigados por suspeitas de financiarem os atos golpistas que destruíram a Praça dos Três Poderes em Brasília no dia 8 de janeiro. A informação é do portal UOL.

Os nomes dos financiadores constam na lista das 52 pessoas investigadas pela Polícia Federal (PF) sob a suspeita de bancar a ida de bolsonaristas radicais aos atos que culminaram na invasão do Congresso, do STF e do Palácio do Planalto.

Reportagem do portal UOL fez o cruzamento de dados dos CPFs da lista de investigados divulgada pela AGU (Advocacia-Geral da União) com a relação de doadores da campanha do ex-presidente

Segundo o cruzamento, os valores são pequenos, mas fazem parte de um movimento realizado por apoiadores de Bolsonaro durante as eleições.

A iniciativa foi criada por eles como uma estratégia para fazer uma contagem paralela de votos. Bolsonaro defendeu essa tese desde o início de seu governo, mas nunca apresentou nenhuma prova concreta de que o sistema eleitoral brasileiro já foi fraudado.

Alguns dos apoiadores doaram apenas R$ 1 e outros, R$ 22, referente ao número de urna do ex-presidente.

Veja a lista com seis pessoas:

  • Aparecida Solange Zanini - R$ 1

  • Carlos Eduardo Oliveira - R$ 1

  • Cláudia Reis de Andrade - R$ 5

  • Jean Franco de Souza - R$ 1

  • João Carlos Baldan - R$ 1

  • Pedro Luís Kurunczi - R$ 22

Na lista, aparece Pedro Luis Kurunczi, que doou R$ 22 para o então presidente da República. O empresário já foi condenado por sonegação de impostos.

Dentre as doações está a da empresária Solange Aparecida Zanini, que alegou ter levado bolsonaristas para “passear” em Brasília.

A campanha de Bolsonaro para a Presidência recebeu R$ 1,3 milhão de empresários que são suspeitos de financiar atos golpistas ao redor do Brasil.