Campanha de Bolsonaro se frustra com pesquisa Ipec

Jair Bolsonaro (Foto: AP Photo/Andre Penner)
Jair Bolsonaro (Foto: AP Photo/Andre Penner)

A campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, se frustrou com a nova pesquisa Ipec divulgada na noite de segunda-feira (12).

O chefe do Executivo não só mostrou estagnação, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) subiu dois pontos percentuais desde a última pesquisa, em 7 de setembro: foi de 44% para 46% de intenções de voto.

Antes da publicação do levantamento, aliados do mandatário alinharam dois focos para a campanha daqui para frente, informou a jornalista Andréia Sadi, da GloboNews.

O primeiro é trabalhar para diminuir a vantagem de Lula no segundo turno. O outro plano é abrir conversar com o MDB, já de olho nos votos da candidata Simone Tebet em um eventual segundo turno.

Além disso, uma parte da campanha bolsonarista aposta que parte dos eleitores do petista não vão votar e que essa abstenção, de acordo com Andréia Sadi, diminua a vantagem para Bolsonaro no segundo turno.

O clima de frustração ocorre por conta da pesquisa eleitoral mais recente, mas erros de Bolsonaro também são vistos de maneira negativa.

Alguns aliados ainda consideram insuficiente a explicação do presidente sobre a compra de imóveis por seus familiares com dinheiro vivo —caso revelado pelo portal UOL —, e da tardia declaração de que se “arrepende” por ter "aloprado" na pandemia quando disse que não era coveiro.

A jornalista Andréia Sadi afirmou que a campanha de reeleição de Bolsonaro espera que ele se saia bem na ONU e na participação no velório da rainha Elizabeth II.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)