Campanha de Lula acredita que estratégia de Haddad prejudicou as eleições

Campanha de Lula acredita que resultados em SP foram responsáveis por levar eleição presidencial para o segundo turno (REUTERS/Carla Carniel)
Campanha de Lula acredita que resultados em SP foram responsáveis por levar eleição presidencial para o segundo turno

(REUTERS/Carla Carniel)

  • Campanha de Lula acredita que estratégia de Fernando Haddad atrapalhou eleição presidencial;

  • Haddad deveria ter direcionado ataques a Tarcísio de Freitas, para reduzir bolsonarismo no estado;

  • Em SP, Bolsonaro teve 1,7 milhão de votos a mais que Lula.

A campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acredita que a estratégia adotada por Fernando Haddad, candidato ao governo de São Paulo, prejudicou os resultados do presidenciável no estado. O ex-prefeito da capital paulista teria poupado em excesso Tarcísio de Freitas (Republicanos), indicado por Jair Bolsonaro (PL).

Acreditando que uma vitória contra Tarcísio seria mais fácil do que contra Rodrigo Garcia (PSDB) em um eventual segundo turno, Haddad direcionou seus ataques ao peessedebista. No entanto, a coordenação da campanha presidencial se queixou dizendo que o alvo principal deveria ser o representante de Bolsonaro – de forma a tentar reduzir o bolsonarismo em São Paulo e, consequentemente, aumentar a vantagem de Lula.

A campanha de Haddad só não esperava que o ex-ministro, em segundo nas pesquisas eleitorais, terminasse o primeiro turno à frente. Nesta segunda-feira (3), os representantes das duas candidaturas petistas devem se reunir para discutir as estratégias para o segundo turno. Aliados de Lula querem que Haddad adote um tom duro contra Tarcísio, mas acreditam que será difícil para o ex-prefeito reverter a vantagem do bolsonarista e vencer as eleições para governador. As informações são do portal O Globo.

Lula deve focar no Sudeste

Em São Paulo, Bolsonaro abriu uma vantagem de 1,7 milhão de votos sobre Lula. Para os coordenadores da campanha, foi essa diferença que levou a eleição presidencial para o segundo turno.

O petista, agora, deve concentrar seus esforços no Sudeste brasileiro. A campanha também disse que tudo será avaliado, incluindo a possibilidade de concessões na área econômica em direção ao centro.

De acordo com as pesquisas eleitorais, Lula venceria Bolsonaro em São Paulo. Haddad venceria Tarcísio de Freitas e Marcio França (PSB), candidato ao Senado apoiado pelo petista, levaria a melhor contra Marcos Pontes (PL), apoiado pelo atual presidente. Na votação, todo esse cenário se reverteu.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: