Campanha eleitoral pode ter ajudado a elevar casos de Covid-19, diz chefe de centro de contingência de SP

·1 minuto de leitura
.
.

SÃO PAULO (Reuters) - A campanha para as eleições municipais, cujo primeiro turno foi realizado no domingo e o segundo turno está marcado para 29 de novembro, pode ter contribuído para o aumento no número de casos de Covid-19, disse nesta quinta-feira o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus do Estado de São Paulo, José Medina.

"Talvez a campanha eleitoral, que envolveu mais de 500 mil candidatos no Brasil todinho, tenha contribuído para esse aumento no número de casos que acontece no Estado de São Paulo e que está acontecendo em todos os Estados brasileiros de maneira concomitante", disse Medina em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Medina, que é médico nefrologista e professor da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), também fez um apelo para que a população evite aglomerações e use máscaras, até mesmo dentro de casa, quando morarem com pessoas que precisam circular.

"Aqui no Brasil possivelmente um fator que fez com que o número de casos aumentasse de maneira mais ou menos uniforme no Brasil todo foi a campanha eleitoral", acrescentou. "É uma movimentação muito grande, as pessoas são visitadas para que seja conquistado o seu voto."

Na segunda-feira o governo estadual anunciou um aumento de 18% nas internações por Covid-19 e, nesta quinta, proibiu a desmobilização de leitos voltados à doença nas redes pública e privada, assim como novos agendamentos de cirurgias eletivas.

(Reportagem de Eduardo Simões)