Campeões mundiais não vão a velório de Pelé e redes reagem com enxurrada de críticas

Ausência de ex-jogadores no velório de Pelé foi bastante criticada (AP Photo/Matias Delacroix)
Ausência de ex-jogadores no velório de Pelé foi bastante criticada (AP Photo/Matias Delacroix)
  • Ausência de ex-jogadores chamou atenção no velório de Pelé em Santos

  • Astros do tetra e do penta não compareceram à cerimônia

  • Redes sociais consideraram atitude desrespeitosa e não pouparam críticas

O velório de Pelé chegou ao fim pouco depois das 10 horas desta terça-feira (3) e, apesar das inúmeras manifestações populares de carinho ao Rei do Futebol, chamou a atenção o baixo número de ex-jogadores na cerimônia.

Se a multidão não se incomodou em pegar longas filas, que ultrapassaram três horas de espera em alguns momentos, ex-atletas, especialmente das gerações mais recentes, não tiveram a mesma iniciativa para dar o último adeus a Pelé.

A presença de nomes do futebol ficou restrita quase exclusivamente a autoridades e ex-jogadores do Santos, como Serginho Chulapa, Clodoaldo, Léo, Zé Roberto, Elano, entre outros. O ex-corintiano Emerson Sheik foi uma das exceções.

Ídolo do Santos no início da década passada, Neymar não compareceu e pediu que seu pai o representasse na cerimônia. Ele teria sido impedido de viajar ao Brasil pelo Paris Saint-Germain.

Nenhum nome marcante do tetra ou do pentacampeonato mundial da seleção brasileira foi à Vila Belmiro. Astros como Cafu, Ronaldo, Romário, Kaká, Ronaldinho Gaúcho ou Roberto Carlos, vistos constantementes em eventos de marcas ou esportivos, não se deslocaram a Santos.

Dois dos maiores atacantes da história do futebol brasileiro, Ronaldo e Romário enviaram coroas de flores à família.

Técnico da seleção brasileira nas últimas duas Copas do Mundo, Tite também não foi visto no velório e recebeu críticas do ex-jogador e atual apresentador Neto.

Críticas nas redes sociais

A ausência de tantos nomes gerou uma enxurrada de críticas nas redes sociais. Perfis consideraram o comportamento foi "desrespeitoso", "vergonhoso" e "desprezível".

Muitos lembraram da entrevista do ex-jogador Kaká durante a Copa do Mundo, quando o mesmo considerou que os ídolos não são valorizados no país. Um dos perfis considerou o episódio "um tanto contraditório".

Já havia chamado a atenção a ausência de brasileiros na homenagem feita pela Fifa a Pelé no Catar, durante a Copa do Mundo, quando o Rei do Futebol estava internado.

Na ocasião, o argentino Javier Zanetti foi o único ex-jogador a comparecer ao evento. O próprio Kaká, Roberto Carlos, Cafú e Ronaldo foram convidados e estavam no país, mas se ausentaram.

Uma comparação entre o velório de Pelé e o memorial do astro da NBA Kobe Bryant, morto no início de 2020, também foi feita por internautas.

Na ocasião, alguns dos nomes mais importantes da história do basquete, como Michael Jordan e Shaquille O'Neal, estiveram presentes e discursaram em homenagem ao ex-jogador do Los Angeles Lakers.

Veja alguns comentários das redes sociais:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A morte de Pelé

Pelé, morreu na última quinta-feira (29). O ex-jogador de futebol estava internado em uma das unidades do hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde o fim de novembro deste ano para avaliação da terapia quimioterápica do tumor de colón constatado em setembro de 2021 e acabou sendo diagnosticado com infecção respiratória.

Pelé foi diagnosticado com um tumor no cólon no dia 31 agosto de 2021 após ser internado para exames cardiovasculares e laboratoriais de rotina. Ele passou por uma cirurgia no dia 4 de setembro para retirar a lesão encontrada no cólon direito. No dia 17, dois dias após ir para o quarto, ele precisou voltar para a UTI após apresentar breve instabilidade respiratória e passou ao cuidado semi-intensivo na recuperação da operação abdominal.

Em janeiro de 2022, foram diagnosticados outros três tumores: no intestino, um no fígado e o início de um no pulmão. Em fevereiro, ele voltou aos hospital para mais sessões de quimioterapia.

ADEUS AO REI DO FUTEBOL: