Campeonatos Estaduais começam hoje com maior peso para o cenário nacional

Torcedores de três estados do Nordeste terão hoje a volta do futebol regional, com o início do Paraibano, Pernambucano e Piauiense. E a atenção aos torneios locais será maior este ano, já que a CBF determinou que a maioria das vagas da Copa do Brasil de 2024 — 80 das 92 — sairá destas disputas. Federações mais bem colocadas, São Paulo e Rio terão direito a seis vagas via Estaduais; Rio Grande do Sul, Minas e Paraná a cinco vagas; Ceará, Goiás, Santa Catarina, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Mato Grosso, Pará e Maranhão, a três; enquanto os demais estados a apenas duas vagas — as outras 12 serão de times da Libertadores, campeões da Copa Verde, Copa do Nordeste e Série B.

Ao todo, são 275 clubes inscritos nas 27 competições estaduais. Neles estão os 20 participantes das três primeiras divisões nacionais e os 64 da série D, e o Sudeste demonstra sua força nos números. Dos 50 clubes que disputam os torneios dos quatro estados, 35 disputam as quatro divisões da elite do Brasil.

A maioria das competições começa em janeiro e se estende até o final de março ou começo de abril — a CBF estabelece o dia 9 como a última data—, com a exceção do Amapá, que joga a competição entre maio e julho.

Em Pernambuco, o atual bicampeão Náutico estreia contra o Central, às 16h30. O principal concorrente é o arquirrival, Sport, que ontem renovou por mais um ano com Vágner Love que, aos 38 anos, busca colocar fim à boa fase do alvirrubro. Na Paraíba, o Campinense, vencedor no ano passado, joga contra o Queimadense, às 16h. Um pouco mais cedo, Às 15h45, Comercial e Fluminense abrem o Piauiense.

O Baiano também promete ser movimentado. O atual campeão é o modesto Atlético de Alagoinhas após a eliminação, inédita, de Vitória e Bahia na primeira fase.

São Paulo sedia o maior torneio, com 16 equipes participantes. Todos eles disputam também as quatro divisões nacionais: cinco na Série A, seis na Série B, um na Série C e quatro na Série D. O atual campeão, Palmeiras, é o favorito, já que além de ter um dos elencos mais fortes do país, conta também com o trabalho longevo de Abel Ferreira, à frente do time desde outubro de 2020.

O principal adversário é o Corinthians, quarto colocado no Brasileirão de 2022 e vice-campeão da Copa do Brasil, mas que enfrenta uma troca no comando. A saída — conturbada — de Vítor Pereira, que foi para o Flamengo, deu lugar ao jovem treinador Fernando Lázaro, que atuava como auxiliar técnico no clube. O São Paulo, atual vice do Paulistão e da Sul-Americana, se apresenta como a terceira força, e Santos e Bragantino completam a lista dos principais postulantes ao título. O início será no dia 14.

No Rio, a disputa foi antecipada pelo calendário do atual vice, Flamengo. Com o clube disputando a Supercopa do Brasil, o Mundial e a Recopa Sul-Americana durante o Carioca, alterações foram realizadas no calendário, e o rubro-negro estreia na quinta-feira. O Fluminense busca o bicampeonato embalado pela boa campanha de 2022, que culminou com o terceiro lugar no Brasileirão, e tem como a principal novidade Keno, ex-Atlético-MG. Vasco, que conseguiu o acesso para a Série A em 2022, investiu no elenco, com a chegada de Pedro Raul. O Botafogo acertou ontem com Marlon Freitas.

No Sul, o Gauchão terá uma presença especial: Luis Suárez deixou o Nacional, do Uruguai, onde começou a carreira, para disputar duas temporadas pelo Grêmio. A apresentação do jogador, na última quarta-feira, reuniu mais de 30 mil torcedores na Arena. Terá pela frente o desafio de vencer o Internacional.

Com o Cruzeiro na era SAF e ainda sob a euforia do título da Série B, o Atlético-MG terá que ter um desempenho bem acima do fraco 2022. O clube de Ronaldo investiu em reforços, e contará com o meia Nikão e o volante Ramiro, enquanto o Galo terá como destaque Paulinho, repatriado do Bayer Leverkusen, sob o comando de Eduardo Coudet.