Campos Neto diz ver dificuldade de conduzir BC sem autonomia mais ampla

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, participa de cerimônia no Palácio do Planalto em Brasília
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA (Reuters) - Há dificuldade em conduzir o dia a dia do Banco Central (BC) sem uma autonomia mais ampla, que inclua questões administrativas e financeiras, disse nesta terça-feira o presidente da autarquia, Roberto Campos Neto.

Em evento no Senado em homenagem ao economista Roberto Campos, o presidente do BC mencionou que seu avô dizia ser importante que a autoridade monetária tivesse autonomia operacional, administrativa e financeira.

“Hoje vivemos a realidade de ter uma autonomia operacional sem ter autonomia administrativa e financeira e a gente vê a dificuldade que é o no dia a dia conduzir o Banco Central sem ter uma autonomia mais ampla”, disse.

Apesar de ter obtido autonomia operacional, o BC não é administrativamente e financeiramente independente. Decisões sobre reajustes salariais de servidores, por exemplo, dependem de liberação orçamentária pelo governo federal.

Em abril, servidores do BC iniciaram uma greve para pressionar o governo a conceder reajustes, o que afetou a divulgação de dados e indicadores do órgão. O movimento foi suspenso, mas a mobilização foi mantida.

(Por Bernardo Caram)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos