Canadá não enviará atletas aos Jogos Olímpicos se evento não for adiado

Os Comitês Olímpico e Paralímpico do Canadá informaram, neste domingo, que se recusarão a enviar atletas para os Jogos de Tóquio-2020 se o evento não for adiado. A decisão acontece após o Comitê Olímpico Internacional estabelecer um prazo de mais quatro semanas para tomar uma decisão sobre a realização do evento na data inicialmente marcada, em 24 de julho.

A decisão foi apoiada pelas comissões de atletas canadenses, pelas organizações nacionais de esportes e pelo Governo do Canadá. Os dois Comitês também afirmaram que a decisão não se refere apenas à saúde dos atletas canadenses, mas a uma questão de saúde pública de todas as nações envolvidas nos Jogos Olímpicos.

"O COC e o CPC pedem urgentemente ao Comitê Olímpico Internacional (COI), ao Comitê Paralímpico Internacional (IPC) e à Organização Mundial de Saúde (OMS) que adiem os Jogos por um ano. Nada é mais importante do que a saúde e a segurança de nossos atletas e da comunidade mundial ", solicitaram as instituições.

"Com a COVID-19 e os riscos associados, não é seguro para nossos atletas, para a saúde, segurança de suas famílias e da comunidade canadense em geral que os atletas continuem treinando para os Jogos. Isso contraria as normas de saúde pública", diz o Comitê Canadense.

Seyi Smith, presidente da Comissão de Atletas do Comitê Olímpico Canadense, declarou que "a decisão garantirá que todos estejam seguros agora e no futuro, além de garantir que tenhamos a melhor equipe competitiva do mercado".

Neste domingo, o COI enfatizou que um possível cancelamento dos Jogos Olímpicos "não está na agenda", mas abriu a possibilidade do adiamento para o segundo semestre de 2020.

Em nota, o COI informou que iniciou, em parceria com o Comitê Organizador e as autoridades japonesas, discussões detalhadas que incluem um cenário de adiamento.

"O COI está confiante que finalizará as discussões dentro das próximas quatro semanas e agradece a solidariedade e parceria dos comitês olímpicos nacionais e federações internacionais em apoiar os atletas e os planos de adaptação dos Jogos", diz a entidade