Polícia canadense indicia suspeitos de assassinato após ataque que deixou 10 mortos

Damien Sanderson e Myles Sanderson, que foram apontados pela polícia do Canadá como suspeitos de assassinatos em comunidade local

Por David Stobbe e Ismail Shakil e Rod Nickel

JAMES SMITH CREE, Canadá (Reuters) - A polícia canadense acusou de assassinato nesta segunda-feira dois homens, que ainda estão foragidos, por suspeita de matarem 10 pessoas e ferirem pelo menos 18 em uma comunidade indígena no domingo, em um país onde episódios de violência em massa são raros.

A polícia iniciou as buscas por Damien Sanderson, de 31 anos, e Myles Sanderson, de 30, depois que eles supostamente esfaquearam pessoas em 13 diferentes áreas de uma comunidade indígena e na província ao redor, no domingo.

O ataque está entre os assassinatos em massa mais mortais da história moderna do Canadá. Uma nota de líderes indígenas sugere que os assassinatos podem ser relacionados a drogas. A polícia disse que algumas das vítimas parecem ser alvos específicos, enquanto outras aparentam ser aleatórias.

A Polícia Real Montada Canadense (RCMP) acusou cada um dos homens de homicídio em primeiro-grau, tentativa de homicídio e invasão. Em nota, a RCMP disse que espera aplicar mais acusações enquanto a investigação continua.

"Ao povo de Saskatchewan e além -- por favor saibam que estamos usando todo recurso humano, investigativo e tecnológico para localizar e prender as pessoas responsáveis por esta tragédia e para garantir a sua segurança", disse a comandante da RCMP, Rhonda Blackmore. Centenas de policiais e funcionários estão dedicados à investigação, disse.

"Estou chocado e devastado pelos horríveis ataques de hoje", disse o primeiro-ministro Justin Trudeau em comunicado. "Como canadenses, choramos com todos os afetados por essa trágica violência e com o povo de Saskatchewan".

"Esta é a destruição que enfrentamos quando drogas ilegais nocivas invadem nossas comunidades", disse a Federação das Nações Indígenas Soberanas. O grupo representa 74 Primeiras Nações em Saskatchewan.

Uma mãe de dois filhos estava entre as 10 pessoas mortas, informou a mídia local, citando o ex-parceiro da mulher.

Em maio, Myles Sanderson foi listado como foragido pelo Saskatchewan Crime Stoppers, um programa que incentiva o público a cooperar com a polícia. Não há mais detalhes sobre por que ele era procurado.

Os indígenas representam menos de 5% da população do Canadá de cerca de 38 milhões e sofrem com níveis mais altos de pobreza, desemprego e uma expectativa de vida menor do que outros canadenses.

Os primeiros esfaqueamentos foram relatados às 8h40 e dentro de três horas a polícia emitiu um alerta de pessoas perigosas em toda a província. À tarde, alertas semelhantes também foram emitidos nas províncias vizinhas de Saskatchewan, Alberta e Manitoba.

(Reportagem de Ismail Shakil, em Ottawa, e Michael Martina, em Washington)