Canadá registra primeira hospitalização vinculada a cigarros eletrônicos

Nesta imagem de arquivo, um homem exala fumaça de cigarro eletrônico em Wahshington, DC, outubro de 2018

O Canadá registrou nesta quarta-feira (18) a primeira hospitalização por doença respiratória grave associada ao uso de cigarros eletrônicos, informaram autoridades de saúde da província de Ontario.

O anúncio, feito pela unidade de saúde de Middlesex-London, chega depois de um surto nos Estados Unidos de casos relacionados com este hábito, conhecido como "vaping", que provocou a morte de sete pessoas e deixou centenas doentes.

Segundo as autoridades canadenses, "um jovem foi diagnosticado com uma doença respiratória grave que foi vinculada ao uso de vaporizadores".

Em uma coletiva de imprensa, um médico dessa unidade de saúde informou que um estudante de ensino médio de London, Ontário, que usava vaporizadores diariamente, foi internado na unidade de cuidados intensivos de um hospital local, mas desde então se recuperou.

"Até onde sabemos, este é o primeiro caso de doença vinculada ao vaping informado no Canadá", disse o médico.

Os cigarros eletrônicos estão disponíveis nos Estados Unidos e Canadá desde 2006, e são utilizados com frequência como alternativa para abandonar o tabaco.

Apesar da proibição existente no Canadá de vender estes dispositivos a menores, seu uso entre adolescentes disparou nos últimos anos.

Nos Estados Unidos, cerca de 3,6 milhões de estudantes de ensino médio usaram produtos de vaping em 2018, um aumento de 1,5 milhão em relação ao ano anterior.