Candidata a presidente do Senado, Simone Tebet (MDB-MS) defende reformas e diz não ter cargos a oferecer

·1 minuto de leitura
Eleição no Senado

BRASÍLIA (Reuters) - A senadora Simone Tebet (MDB-MS), candidata independente à presidência do Senado, defendeu nesta segunda-feira a realização de reformas estruturantes no país, em especial a tributária, de forma a que se tenha crescimento econômico com distribuição de renda.

Em pronunciamento, Simone fez um discurso emotivo e disse que não tem nada a oferecer aos colegas, exceto um trabalho coletivo. Destacou que não tem emendas e cargos --numa referência indireta ao adversário, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), apoiado pelo governo Jair Bolsonaro.

"Nosso barco tem a bandeira da independência institucional, pintada nas melhores cores da democracia", disse ela, em discurso antes do início da votação.

Os senadores Major Olimpio (PSL-SP), Jorge Kajuru (Cidadania-GO) e Lasier Martins (Podemos-RS) abriram mão de suas candidaturas em discursos e manifestaram apoio a Simone Tebet.

Apesar disso, Simone não contou sequer com o apoio do seu partido, o MDB, que é a maior bancada da Casa, e mesmo assim optou por se lançar ao cargo de forma independente.

Logo em seguida às exposições, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou os procedimentos para o início da votação secreta, que será feita em cédulas de papel.

(Reportagem de Ricardo Brito)