Candidato ao governo do CE, Capitão Wagner rejeita alinhamento a Bolsonaro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Líder nas pesquisas para o governo do Ceará, Capitão Wagner (União Brasil) diz que não pretende vincular sua imagem à do presidente Jair Bolsonaro (PL).

"Tenho cinco candidatos a presidente representados em minha coligação", diz ele, para justificar a distância.

São eles Soraya Thronicke (União Brasil), Bolsonaro (PL e Republicanos), Simone Tebet (Podemos), Roberto Jefferson (PTB) e Luiz Inácio Lula da Silva (Avante).

Por trás do argumento, há uma avaliação de que a vinculação excessiva a Bolsonaro poderia causar prejuízos eleitorais a Wagner, num estado em que o presidente tem baixos índices de popularidade. Os dois principais adversários do capitão são de esquerda: Roberto Cláudio (PDT) e Elmano de Freitas (PT).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos