Candidato da esquerda Petro vai ao 2º turno contra empresário Hernández na Colômbia

Candidato de esquerda à Presidência da Colômbia Gustavo Petro comemora com apoiadores em Bogotá após primeiro turno do pleito

Por Oliver Griffin e Carlos Vargas e Nelson Bocanegra

BOGOTÁ (Reuters) - O candidato da esquerda Gustavo Petro venceu o primeiro turno da eleição presidencial da Colômbia no domingo e enfrentará um adversário surpreendente, o empresário Rodolfo Hernández, no segundo turno em 19 de junho.

Petro, ex-membro do movimento guerrilheiro M-19 que prometeu profundas mudanças econômicas e sociais, teve 40,3% dos votos, segundo os registros oficiais, com 99,9% das urnas apuradas.

Hernández, ex-prefeito de Bucaramanga que prometeu combater a corrupção mesmo sendo investigado por irregularidades, obteve 28,2%.

Pesquisas antes do primeiro turno mostraram que Hernández --que agora tem o apoio do terceiro colocado Federico Gutiérrez e provavelmente de muitos de seus apoiadores-- ficaria apenas alguns pontos atrás de Petro no segundo turno.

Petro, um ex-prefeito de Bogotá de 62 anos, sempre liderou pesquisas de opinião com promessas de redistribuir pensões, oferecer universidade pública gratuita e começar a mudar o que ele diz serem séculos de profunda desigualdade.

"O que não está em dúvida hoje é a mudança", disse Petro a apoiadores no centro de Bogotá. "Agora é ver o que faremos com a Colômbia, o que a sociedade colombiana quer para seu próprio país."

"A corrupção não é combatida com slogans no TikTok", acrescentou Petro, uma referência à popularidade de Hernández no aplicativo de mídia social.

Petro prometeu implementar totalmente um acordo de paz de 2016 com os rebeldes das Farc e buscar negociações de paz com os rebeldes do ELN ainda ativos, bem como interromper todo o desenvolvimento de petróleo e gás.

Daniela Cuellar, consultora sênior da FTI Consulting em Bogotá, disse que a sede dos colombianos por algo diferente foi claramente demonstrada com dois candidatos que prometem mudanças indo para o segundo turno.

"Esta eleição não é sobre Petro, ou um movimento para a esquerda", disse ela à Reuters. "Trata-se de que a população colombiana está cansada da classe política tradicional e busca uma vida melhor."

Hernández subiu nas pesquisas apenas nas últimas duas semanas, impulsionado por sua presença nas mídias sociais.

Ele prometeu acabar com os privilégios das autoridades e governar de forma austera.

"Hoje sabemos que os cidadãos têm uma firme vontade de acabar com a corrupção como sistema de governo", disse Hernández em um vídeo nas redes sociais. "As gangues que pensavam que governariam para sempre perderam hoje."

Apesar da retórica de Hernández, ele está enfrentando uma investigação de corrupção sobre alegações de que ele interveio em uma licitação de coleta de lixo quando era prefeito para beneficiar uma empresa para a qual seu filho havia feito lobby.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos