Candidato que morreu com Covid-19 é eleito para câmara estadual nos EUA

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Municipal workers extract Luzerne County ballots from their envelopes, Wednesday, Nov. 4, 2020, in Wilkes-Barre, Pa. The fate of the United States presidency hung in the balance Wednesday morning, as President Donald Trump and Democratic challenger Joe Biden battled for three familiar battleground states, Wisconsin, Michigan and Pennsylvania, that could prove crucial in determining who wins the White House. (AP Photo/Mary Altaffer)
Trabalhadores municipais retiram cédulas de seus envelopes, nesta quarta-feira (4), em Wilkes-Barre, Pensilvânia (Foto: AP Photo/Mary Altaffer)

David Andahl, de 55 anos, disputava uma vaga na Câmara dos Representantes do estado da Dakota do Norte, nos Estados Unidos, pelo partido Republicanos, o mesmo do presidente Donald Trump. Nas eleições desta terça-feira (3), ele venceu nas urnas e foi eleito ao cargo. Acontece que o candidato morreu em outubro, vítima da Covid-19.

De acordo com a agência de notícias EFE, sua vitória se deu graças ao aumento recorde de votos pelos correios nestas eleições realizadas em meio à pandemia, pois muitas cédulas foram enviadas antes da trágica notícia.

A morte de David Andahl aconteceu em 6 de outubro, perto da capital estadual, Bismarck. Mesmo assim, ele ganhou a disputa para representante (deputado) estadual.

Leia também

Após a morte do candidato, o procurador-geral de Dakota do Norte, Wayne Stenehjem, explicou que o deputado ainda poderia participar do processo eleitoral, pois a votação de militares e americanos que moram no exterior começou com 46 dias de antecedência. Além disso, os primeiros eleitores puderam enviar pelo correio suas cédulas 40 dias antes do pleito.

De acordo com a rede de televisão ABC, o procurador insistiu, na terça das eleições, que as cédulas com votos a favor de Andahl deveriam ser contadas, de acordo com a legislação nacional.

"Entretanto, se o candidato morreu, então ele ou ela não está qualificado, e haverá uma vaga. A lei estadual prevê o processo de preenchimento de vagas em cargos legislativos", acrescentou.