Candidatos a deputado defendem revisão das leis trabalhistas

***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 21.12.2021 - Plenário da Câmara dos Deputados. (Foto: Antonio Molina/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 21.12.2021 - Plenário da Câmara dos Deputados. (Foto: Antonio Molina/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Candidatos à Câmara dos Deputados entrevistados pela Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (19) defenderam, sob diferentes perspectivas, a revisão das atuais leis trabalhistas, impactadas pela reforma feita no governo de Michel Temer (MDB) em 2017.

As conversas iniciaram uma série de lives pelo Instagram que o jornal fará com candidatos a deputado federal por São Paulo nos próximos dias.

Os convidados desta segunda foram Luana Tavares (PSD) e Daniel Munduruku (PDT), entrevistados por dez minutos cada pela repórter Renata Galf.

Luana Tavares (PSD) e Daniel Munduruku (PDT), foram entrevistados pela jornalista Renata Galf na manha dessa segunda(19). Luana Tavares (PSD) defendeu a inclusão de motoristas de aplicativo na legislação, mas fez a ressalva de que "a carga tributária para as empresas em relação a CLT ainda é muito alta".

"O que a gente precisa fazer é tornar essa legislação cada vem mais flexível", afirmou Tavares.

Parte do movimento liberal Livres e da Rede de Líderes da Fundação Lemann, a candidata passou por movimentos de renovação política que ganharam força nos últimos anos, como Renova BR e Raps (Rede de Ação Política pela Sustentabilidade).

A sua principal pauta é a digitalização de serviços públicos. "Uma das minhas propostas é que a gente unifique os principais serviços municipais, estaduais e federais em um único portal", afirmou a candidata, que também atua pela inclusão de mulheres na política.

Questionada sobre o marco temporal, tese jurídica que pode travar demarcações de terras indígenas no país, e a autorização de mineração nesses territórios, a candidata afirmou ainda não ter um posicionamento, mas disse que votaria com olhar técnico.

"A gente tornou essa discussão ideológica, como tantos outros temas."

Daniel Munduruku afirma que, se eleito, o seu foco será a luta pela demarcação dos territórios indígenas. "As sociedades indígenas estão sendo massacradas por uma representação muito forte do agronegócio e dos mineradores", afirmou o candidato. O fortalecimento da Funai também é uma prioridade.

Em outros termos, ele também defendeu a revisão das leis trabalhistas. "Do jeito que está, ela não contempla todos os direitos dos trabalhadores", afirmou.

"O Brasil tem características muito próprias, de uma população que está envelhecendo sem direitos a nada", disse. "Precisamos aperfeiçoar a lei trabalhista, de forma que leve em conta as transformações sociais, as novas tecnologias, mas que cumpra o seu papel de proteção social."

O candidato destacou ainda a importância da atuação do Legislativo em denunciar quando a lei não for aplicada em casos de racismo.

"Para os ignorantes existe escola, e nós vamos lutar por uma educação que eduque as nossas crianças para a consciência crítica. Agora, contra os racistas, nós só temos a lei", afirmou.