Candidatos do PDT evitam campanhas com Ciro Gomes e optam pelo ‘flerte’ com Lula

Situação não acontece com os principais adversários de Ciro, Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) (REUTERS/Adriano Machado)
Situação não acontece com os principais adversários de Ciro, Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL)

(REUTERS/Adriano Machado)

  • Candidatos do PDT evitam campanhas com Ciro Gomes;

  • Presidenciável encontra dificuldade em alcançar dois dígitos nas pesquisas eleitorais;

  • Alguns candidatos chegaram, inclusive, a 'flertar' com Lula em suas propagandas.

Os candidatos do PDT aos governos e Senado têm evitado a associação com Ciro Gomes, presidenciável do mesmo partido. Conforme analisado pelo O Globo, a maioria das campanhas dos pedetistas – importantes para dar força ao candidato ao Planalto – menciona de forma tímida Ciro, com o nome e logomarca dele escritos em letras pequenas.

Com dificuldade de alcançar dois dígitos nas pesquisas, o presidenciável aparece com 8% das intenções de voto na última pesquisa do Datafolha, divulgada na quinta-feira passada (15). O mau desempenho afasta os integrantes do PDT.

O partido lançou dez candidatos aos governos e dez ao Senado. Dos 20, ao menos três evitam Ciro a todo custo: os candidatos ao governo Weverton Rocha (MA) e Rodrigo Neves (RJ), e Carlos Eduardo (RN), que disputa uma vaga no Senado. Todos já chegaram, inclusive, a ‘flertar’ com Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que aparece em primeiro na corrida ao Planalto.

Em agosto, Weverton publicou um vídeo em que afirma ter estado sempre ao lado de Lula. No caso de Carlos Eduardo, o petista que se posicionou, pedindo votos ao candidato ao Senado. Já Rodrigo Neves foi cobrado pelo comando do PDT para que evitasse acenos mais ostensivos ao ex-presidente, uma vez que a postura de apoiar a campanha de adversários contraria uma resolução do partido.

Mesmo no Ceará, estado de Ciro, o candidato ao governo Roberto Cláudio tem dado pouco apoio ao presidenciável, de quem é aliado há mais de uma década. Há poucas referências a Ciro no site e nas propagandas eleitorais de Cláudio, embora sejam assinadas por João Santana, o mesmo marqueteiro do postulante ao Planalto. Nas redes sociais o cenário é o mesmo: apenas seis publicações citam Ciro desde 16 de agosto, início da campanha.

O abandono do pedetista não acontece com seus principais adversários, Lula e Jair Bolsonaro (PL). Pelo contrário: os demais candidatos costumam separar espaços generosos para seus padrinhos e se associar à disputa presidencial. Entretanto, a situação é comum na política, já que a associação ao favorito ao Planalto tende a trazer mais votos do que a proximidade com quem está em terceiro lugar, como Ciro. As informações são do Extra.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: