Candidatos em SP destacam Lula e Bolsonaro e se apresentam em estreia na TV

*Arquivo* Santos, SP, 07.08.2022 - Os candidatos Fernando Haddad (PT), Tarcísio de Freitas (Republicanos), Rodrigo Garcia (PSDB), Vinícius Poit (Novo) e Elvis Cezar (PDT) durante debate na Band. Programa eleitoral de TV e rádio começa nesta sexta (26). (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
*Arquivo* Santos, SP, 07.08.2022 - Os candidatos Fernando Haddad (PT), Tarcísio de Freitas (Republicanos), Rodrigo Garcia (PSDB), Vinícius Poit (Novo) e Elvis Cezar (PDT) durante debate na Band. Programa eleitoral de TV e rádio começa nesta sexta (26). (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - No primeiro programa eleitoral de TV e rádio, nesta sexta (26), os candidatos ao Governo de SP pretendem seguir a receita básica de apresentar seus currículos e marcar posição no jogo político nacional.

Assim, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), padrinho de Fernando Haddad (PT), e o presidente Jair Bolsonaro (PL), fiador de Tarcísio de Freitas (Republicanos), aparecerão no horário eleitoral oferecendo apoio em depoimentos gravados especialmente para a estreia dos candidatos.

Após sorteio da Justiça Eleitoral, Vinicius Poit (Novo) será o primeiro a exibir sua propaganda. A ordem que se segue, todos os dias, é Tarcísio, Haddad, Rodrigo Garcia (PSDB) e Elvis Cezar (PDT).

Rodrigo, que busca a reeleição, terá o maior tempo na TV, com 4 minutos e 17 segundos. Tarcísio vem na sequência, com 2 minutos e 19 segundos, quase o mesmo tempo de Haddad -2 minutos e 18 segundos. Elvis terá 43 segundos, e Poit, 20 segundos.

O tucano também é o candidato com a maior quantidade de inserções -conteúdos publicitários de 30 e 60 segundos que começam a ser veiculados na sexta-feira ao longo da programação de rádio e TV. A propaganda eleitoral será exibida até 29 de setembro.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, a campanha de Rodrigo aposta na maior exposição para superar Tarcísio e chegar ao segundo turno. Pesquisa Datafolha divulgada no último dia 18 mostrou Haddad à frente, com 38%, seguido de Tarcísio, com 16%, e Rodrigo, com 11%. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Mesmo os adversários do tucano admitem que o início do programa na TV pode beneficiá-lo. Todas as campanhas afirmam que a propaganda eleitoral tem potencial para mudar o cenário, uma vez que, próximo à data da votação, leva a mensagem dos candidatos a eleitores ainda alheios ao pleito.

O horário eleitoral para candidatos ao governo dura dez minutos e é exibido duas vezes por dia -às 7h15 e às 12h15 no rádio e às 13h15 e às 20h45 na TV. Só 10% desse tempo é dividido de forma igualitária, o restante varia conforme o tamanho da coligação, proporcionalmente à bancada dos partidos na Câmara.

Altino (PSTU), Antonio Jorge (Democracia Cristã), Carol Vigliar (Unidade Popular), Edson Dorta (PCO) e Gabriel Colombo (PCB) não têm direito à propaganda porque seus partidos não superaram a cláusula de barreira --desempenho mínimo de votação na eleição de 2018.

A primeira peça da campanha tucana vai mostrar Rodrigo em Tanabi, cidade a 480 km da capital paulista, onde ele nasceu. Trecho de vídeo publicado nas redes sociais do governador, em que visita a fazenda dos avós e aparece ao lado do pai, da mulher e da família, será aproveitado para a estreia na rádio e na TV.

"Estou começando a campanha onde nasci e, nas próximas semanas, vou pedir para você abrir as portas da sua casa para que você me conheça mais", diz Rodrigo, na abertura do vídeo.

O clima intimista quer evidenciar a imagem de "paulista raiz", alcunha criada pelos marqueteiros do tucano como oposição ao fato de Tarcísio ter nascido no Rio. A pesquisa Datafolha mostrou que apenas 10% do eleitorado conhece Rodrigo, índice que sobe para 35% com Tarcísio e chega a 89% com Haddad.

Tanto o ex-prefeito de São Paulo como o ex-ministro da Infraestrutura de Bolsonaro também buscarão ampliar sua taxa de conhecimento, principalmente se conectando aos seus padrinhos presidenciáveis.

Logo no primeiro programa, o petista trará depoimentos de Lula, Geraldo Alckmin (PSB), candidato a vice na chapa presidencial do PT, e Márcio França (PSB), que disputa o Senado.

O bolsonarista, por sua vez, exibirá uma fala do presidente, reforçando ao eleitorado que Tarcísio é o nome paulista do atual chefe do Executivo. A campanha chegou a medir que 40% dos eleitores de Bolsonaro não conheciam Tarcísio.

Rodrigo vai no sentido oposto. O governador busca se descolar da polarização nacional e prega ser de centro. Para esconder João Doria (PSDB), de quem foi vice, tem se associado a Mário Covas.

Mas, a princípio, o tucano não deverá fazer críticas aos principais concorrentes. Uma eventual mudança de postura será avaliada nas próximas semanas de acordo com o que sugerem as pesquisas.

Os candidatos também querem expor seus legados. Rodrigo listará realizações no governo de São Paulo, enquanto Tarcísio vai explorar obras do Ministério da Infraestrutura e Haddad relembrará entregas na Prefeitura de São Paulo e no Ministério da Educação.

O programa do petista também tratará de economia, tema central da eleição para o PT. A ideia é traçar um diagnóstico de fome e desemprego no estado e defender o projeto de aumento do salário-mínimo paulista.

Já Tarcísio, além das falas do presidente e de imagens ao lado dele gravadas em Brasília, trará vídeos que abordam sua carreira -citando, inclusive, a atuação nos governos de Dilma Rousseff (PT) e de Michel Temer (MDB). O intuito dessa etapa inicial é apresentá-lo -por enquanto, o material não vai abordar as propostas do candidato para São Paulo.

"É uma oportunidade única de conversar com as classes C e D, que muitas vezes se informam sobretudo pela televisão", diz o marqueteiro da campanha, Pablo Nobel.

Elvis Cezar, por sua vez, disse que estreará seu programa com algo diferente, uma espécie de homenagem às mulheres. Segundo ele, seu material trará propostas voltadas para "a população em situação difícil".

Com 20 segundos, Poit quer veicular peças propositivas. O candidato do Novo vai defender a liberdade, o empreendedorismo e a inovação. Provocações a outros candidatos estão descartadas por ora.

Horário eleitoral gratuito em São Paulo

DIVISÃO DO TEMPO E ORDEM DE APARIÇÃO

Vinicius Poit (Novo)

20 segundos e 35 inserções sem coligação Tarcísio de Freitas (Republicanos)

2 minutos e 19 segundos e 228 inserções PL, PSD, PTB, PSC e PMN Fernando Haddad (PT)

2 minutos e 18 segundos e 226 inserções PC do B, PV, PSOL, Rede e Agir Rodrigo Garcia (PSDB)

4 minutos e 17 segundos e 421 inserções Cidadania, União Brasil, MDB, PP, Podemos, Solidariedade, Patriota e Avante Elvis Cezar (PDT)

43 segundos e 70 inserções sem coligação

VEICULAÇÃO

De 26 de agosto a 29 de setembro Duração de 10 minutos Rádio: 7h15 e 12h15 TV: 13h15 e 20h45