Candidatos têm 45 segundos para responder sobre propostas para a cidade

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O debate da TV Cultura começou com candidatos a prefeito da cidade de São Paulo com dificuldades para responder temas complexos no tempo estipulado de 45 segundos, nesta quinta-feira (12). Jilmar Tatto (PT), ao responder a pergunta sobre como lidar com a cracolândia, prometeu retomar o programa Braços Abertos, da gestão Haddad (2013-2016), que empregava dependentes químicos em serviços como varrição. Celso Russomanno (Republicanos) afirmou que a volta às aulas da rede municipal deve acontecer antes da disponibilidade da vacina contra o novo coronavírus. A decisão sobre a obrigatoriedade da vacina, para o prefeito e candidato a reeleição, Bruno Covas (PSDB), deve ser tomada segundo critérios científicos, pela área da saúde. Questionado sobre propostas para inclusão, Guilherme Boulos (PSOL) prometeu criar cotas no serviço público e estimular que o setor privado contrate mais pessoas negras. O candidato Arthur do Val (Patriota) aproveitou a pergunta sobre meio-ambiente para repetir que quer mudar regras do Plano Diretor Estratégico e atacou os candidatos Jilmar Tatto e Guilherme Boulos que, segundo ele, são coniventes com invasões em áreas ambientais.