Candidaturas da cidade do Rio custaram R$ 66,5 milhões; principal despesa foi com serviços prestados por terceiros

Carolina Nalin
·2 minuto de leitura
Cléber Júnior / Agência O Globo
Cléber Júnior / Agência O Globo

RIO — As candidaturas da cidade do Rio custaram R$ 66,5 milhões, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral. O levantamento considera tanto as campanhas para prefeito como vereador. A principal despesa foi com serviços prestados por terceiros, que somam R$ 8 milhões. Somente a capital representa 59,4% do gasto de todos os municípios do estado, que foi de R$ 111,9 milhões.

Em todo o estado, o maior custo foi com publicidades por materiais impressos — R$ 18 milhões — seguido pelos gastos com serviços prestados por terceiros – R$ 10 milhões – e, em terceiro lugar, os gastos com rádio e TV – R$ 9,9 milhões.

Na Região Metropolitana do Rio, municípios como Niterói, São Gonçalo, Nova Iguaçu, Duque de Caxias e Macaé foram os que mais gastaram com materiais impressos.

Já os municípios de Cabo Frio e Campos do Goytacazes, na Região dos Lagos, e Nova Friburgo, na Serra Fluminense, estão entre os que mais gastaram com rádio e televisão.

Os municípios de Maricá e Belford Roxo gastaram mais com materiais por adesivos do que materiais impressos e rádio e televisão. Já as candidaturas nas cidades de São Francisco de Itabapoana e Porciúncula, que possuem, respectivamente, cerca de 41 mil habitantes e 18 mil habitantes, segundo dados do IBGE 2010 e 2017, privilegiaram mais gastos com atividades de militância e mobilização de rua.

Veja as cidades do estado do Rio com os maiores gastos de campanha:

Rio de Janeiro: R$ 66,5 milhões

Niterói: R$ 4,2 milhões

São Gonçalo: R$ 4 milhões

Campos dos Goytacazes: R$ 2,6 milhões

Macaé: R$ 2,03 milhões

Nova Iguaçu: R$ 2 milhões

Veja as cidades do estado do Rio com os menores gastos de campanha:

São Sebastião do Alto: R$ 14.870

Tanguá: R$ 14.700

Trajano de Moraes: R$ 12.546