Cantor acusa PMs de espancarem e torturarem ele e a esposa em GO

·3 minuto de leitura
Cantor afirma que foi espancado e torturado por PMs - Foto: Divulgação
Cantor afirma que foi espancado e torturado por PMs - Foto: Divulgação
  • Warley Carvalho disse ter sido torturado e espancado por cinco agentes da PM

  • Ele teria sido acusado erroneamente de roubar uma carga de combustível

  • Na busca por provas de sua inocência, Deborah Coelho também teria sido agredida por um tenente

Um cantor de 35 anos acusou cinco policiais militares de agressão e tortura em Senador Canedo, Goiás. Em vídeo, Warley Carvalho mostrou os ferimentos que teriam sido causados pelos agentes nele e na esposa, Deborah Coelho, de 23. As informações são do portal Metrópoles.

Warley desabafou sobre o episódio nas redes sociais. Segundo ele, o tenente Hemirlon Mota Júnior teria sido responsável pelo espancamento ao lado de outros quatro policiais, que não tiveram as identidades reveladas.

Leia também

O cantor contou que, diante da redução de trabalho na pandemia, comprou um caminhão e passou a prestar serviço de transporte de combustível para uma empresa. No dia 3 de setembro, ele teria sido chamado para uma conversa, após um cliente reclamar de desfalque em uma das entregas.

“Quando isso aconteceu, todo mundo ficou desesperado pensando que ia perder cliente. A dona chamou o marido, que é tenente da PM. Eu estava na empresa aguardando, achando que iriamos conversar, mas ele já chegou me algemando com os braços para trás”, relatou Warley.

Warley vinha fazendo trabalhos para uma transportadora na pandemia - Foto: Arquivo Pessoal
Warley vinha fazendo trabalhos para uma transportadora na pandemia - Foto: Arquivo Pessoal

O cantor disse que foi agredido com socos e pontapés. Além disso, teria sido vítima de sufocamento com um saco plástico e afogamento. “Eu cheguei a desmaiar e acordei com eles me perguntando para quem eu tinha vendido o combustível.”

Na denúncia registrada, Warley explicou que “não aguentava mais ser torturado e agredido" e acabou dizendo que foi o responsável pelo crime, além de apontar um suposto receptador.

O cantor foi preso em flagrante por furto de combustível. No boletim de ocorrência, os agentes responsáveis pela detenção afirmaram que o rapaz resistiu à prisão, mas, “quando estava mais calmo”, confessou o crime.

“Cheguei para fazer o exame de corpo delito, e os PMs falaram para o médico que eu tinha caído. Cheguei ao delegado, ele perguntou a eles o que tinha acontecido, e disseram que eu tinha resistido à prisão, mas eu estava algemado”, disse Warley.

Agressão à esposa

Em depoimento à Polícia Civil, o cantor deu sua versão do episódio. Ele pagou fiança e foi solto. A partir daí, decidiu buscar documentos que comprovassem sua inocência.

Deborah mostrou os ferimentos na boca - Foto: Reprodução
Deborah mostrou os ferimentos na boca - Foto: Reprodução

“No dia seguinte, fui atrás dos canhotos para provar a minha inocência. Estava com medo de me verem. Então, pedi para minha esposa, Deborah, descer e pegar, enquanto eu a esperava no carro, mas o PM [marido da dona da empresa] estava lá de novo, à paisana”, explicou.

Segundo o rapaz, Deborah foi imediatamente puxada pelo cabelo por Hemirlon. “Eu desci, ele estava armado, me deu uma coronhada no rosto e me jogou na parede. Nisso, meu telefone caiu e ele já pegou e disparou no meu rumo. Atingiu perto do meu rosto, na parede, mas graças a Deus não me pegou”, afirmou a mulher.

Versão da empresa

Em nota, a Transportadora Mundial, à qual Warley prestava serviços, colocou-se à disposição para prestar esclarecimentos e garantiu ter “provas do furto ocorrido”. A empresa prometeu tomar as medidas legais cabíveis, pois, segundo o comunicado, “a realidade dos fatos está sendo distorcida”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos