Cantor exalta a Zona Norte em álbum e comanda roda de samba na Feirinha da Pavuna

·1 min de leitura

RIO — Na Feirinha do Pavuna não houve confusão alguma. No evento concebido pelo cantor, compositor, instrumentista e ator El Pavuna, nascido e criado no bairro que carrega como sobrenome, só tem espaço para roda de samba da melhor qualidade, gastronomia diversa e exposição de produtos artesanais. No dia 8 de janeiro, acontece a primeira edição de 2022, que, como não poderia deixar de ser, vai agitar a tradicional Feirinha da Pavuna.

Antes disso, o novo morador do Morro do Salgueiro, na Tijuca, se apresenta neste domingo (26) no quiosque Samba Social Clube, em Copacabana, ao mesmo tempo em que lança o seu primeiro álbum da carreira, “Vide o céu da Zona Norte às cinco e meia”. Nas 12 faixas do disco, o amor do sambista pela região fica muito evidente.

— Sou apaixonado pela troca de cores do céu tanto na alvorada quanto no pôr do sol. Quis registrar neste álbum o milagre da natureza que acontece todos os dias e que, por incrível que pareça, só parei para olhar pela janela da casa da minha mãe, na Pavuna, durante a pandemia. Esse trabalho diz muito sobre a minha relação com a Zona Norte — conta. — Comecei a cantar na adolescência em um grupo de pagode formado por amigos da vizinhança. Eu me defino como um artista de samba, mas dentro dessa caixa cabem outras vertentes musicais e a atuação.

Entre os projetos de El Pavuna está o Aos Novos Compositores, uma roda de samba só com canções inéditas interpretadas pelos próprios autores:

—A ideia é retomar a agenda com força total.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos