Cantor Netinho tenta reerguer carreira e mudar imagem associada a Bolsonaro e golpistas antes do carnaval

Sucesso nos anos 1990, quando estourou nacionalmente com músicas como "Milla" e "Capricho dos deuses", o cantor Netinho voltou a ser notícia nos últimos dias após ter um show que faria em Aracaju cancelado. O motivo, alegado pelo contratante, foi a série de posts feitos por ele apoiando os ataques golpistas que aconteceram em Brasília. O cancelamento serviu de alerta para o artista, que reuniu sua equipe para, como é dito no meio, fazer o gerenciamento de crise, conforme apurou o EXTRA.

O primeiro passo foi deletar todos os posts que fez em defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro, inclusive as várias publicações em defesa dos ataques golpistas. Netinho quer, a partir de agora, desvincular sua imagem como artista da política.

Com o show em Aracaju, Netinho acabaria com um longo jejum sem se apresentar ao vivo no Brasil. "A Bahia, em sua grande maioria, é antibolsonarista e o comportamento dele vinha afugentando os contratantes", revela uma fonte do EXTRA.

Netinho foi orientado ainda a evitar falar de política publicamente e tentar resgatar a antiga imagem que o público tinha dele, um cara risonho e divertido, no auge do sucesso.

O gerenciamento de crise visa tornar Netinho novamente um nome forte na música baiana, e tudo isso antes do carnaval.