Cantora agredida por marido em shopping diz que violência foi motivada por chocolate; entenda

·2 minuto de leitura
Cantora Quésia ao lado do marido Bruno - Foto: Reprodução
Cantora Quésia ao lado do marido Bruno - Foto: Reprodução

Quesia Freitas, cantora gospel agredida pelo marido Bruno Feital em um shopping no Rio de Janeiro, afirmou que a violência contra ela foi motivada por um motivo completamente banal: um chocolate.

Segundo Quesia, ela teria ido comprar comida ao marido e quando chegou na loja, não havia a marca de chocolate que ele desejava. Ela deu mais detalhes em entrevista à TV Record.

Leia também

"Ele deu um surto de estresse porque não tinha o chocolate que ele queria. Depois, se estressou na hora de eu pagar o ingresso [do cinema], pois quis fazer uma surpresa. Eu disse, 'o que está acontecendo? Nada está bom para você'. Ele gritou, 'é verdade. Vamos embora agora'", contou ela. O casal estava no shopping, segundo ela, para assistir um filme porque vinham “trabalhando muito".

Ela conta que, envergonhada com a postura descontrolada do companheiro, decidiu ao banheiro para escapar dos olhares dos outros frequentadores do local. "Nisso, ele já me empurrou. Estava todo mundo olhando", relembrou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O caso ganhou repercussão depois que Juninho Black, irmão da cantora, publicou o vídeo nas redes sociais.

Quesia conta que as agressões começaram no primeiro dia do casamento, que ela foi agredida por trabalhar usando um celular quando Bruno não queria que ela trabalhasse.

"É um misto de vergonha porque você não quer acreditar que está passando por aquilo, com aquela gravidade. Mas uma hora você vê que está piorando e não quer aceitar. Você quer falar, mas ainda tem medo da pessoa te matar. Só que hoje estou começando a entender que não preciso do perdão dele", afirmou à Revista Marie Clare.

A cantora relata ter sofrido abusos físico, psicológico e até de caráter sexual. Segundo Quesia, ela teria perdido a guarda dos filhos, de outro relacionamento, pelo comportamento hostil de Bruno.

"Custava a pegar meu filho mais novo. Nas poucas vezes, ele queria mais atenção do que meu filho de 7 anos. Comecei a ter vergonha do meu filho, você começa a abrir mão para proteger", disse à revista. Segundo ela, Bruno exigia sexo a todo momento, mesmo quando o menino estava em sua casa.