Cantora gospel Ana Paula Valadão vira alvo do MPF por declaração sobre homossexuais e Aids

Extra
·1 minuto de leitura

A cantora gospel Ana Paula Valadão virou alvo de uma investigação do Ministério Público Federal por declarações consideradas homofóbicas ditas durante o Congresso Diante do Trono, em 2016, com transmissão no Youtube. A informação da abertura de inquérito foi antecipada pela coluna de Lauro Jardim, de O GLOBO. A também pastora disse que relações homoafetivas não são "normais" e associou a Aids a casais LGBT.

"Isso não é normal. Deus criou o homem e a mulher e é assim que nós cremos. Qualquer outra opção sexual é uma escolha do livre arbítrio do ser humano. E qualquer escolha leva a consequências. (...) A Bíblia chama de qualquer opção contrária ao que Deus determinou, de pecado. E o pecado tem uma consequência que é a morte. Está aí a Aids para mostrar que a união sexual entre dois homens causa uma enfermidade que leva à morte e contamina as mulheres, enfim...", disse a cantora que já vendeu mais de 15 milhões de discos.

O assunto voltou à tona porque o vídeo viralizou na web novamente.

Na portaria que abre o inquérito, o MPF diz que "a situação, na forma em que foi narrada, caracteriza-se como 'discurso de ódio', restando ao estado o dever de proteger as vítimas e responsabilizar os infratores, de maneira que essa atuação é ainda mais necessária no atual cenário brasileiro, em que a homofobia se encontra tão presente e multiplicam-se casos de ódio e intolerância".

Procurada pelo EXTRA, Ana Paula Valadão ainda não se manifestou.