Cantores egípcios são presos por vídeo com dançarina do ventre brasileira

CAIRO - Dois cantores egípcios foram condenados a um ano de prisão após gravarem um vídeo em que dançam com a brasileira Lurdiana Tejas, dançarina do ventre popular no país. O vídeo foi publicado nas redes sociais em 2020 e tem mais de 10 milhões de visualizações.

A dupla também foi multada ao equivalente a US$ 540 dólares. Caso paguem o dobro desse valor, terão a prisão suspensa. Veja o vídeo, chamado de 'Você é o professor', abaixo:

Para um tribunal de Alexandria, Hamo Beeka e Omar Kamal violaram 'valores da família' enquanto lucraram com a publicação da gravação. A ONG Humans Right Watch criticou a condenação e afirmou que o Egito tem usado conceitos de 'valores de família' mal definidos para praticarem abusos e promoverem censura nas redes sociais.

Desde de 2020, pelo menos 12 influenciadores egípcias foram alvos de condenações similares. — As autoridades egípcias não devem processar músicos apenas por sua expressão artística. As restrições mal definidas usadas para condenar esses homens devem ser revogadas. — disse Joe Stork, vice-diretor do Oriente Médio e Norte da África da Human Rights Watch.

Após a publicação do vídeo, Kamal chegou a ser temporariamente banido do Sindicato dos Músicos do Egito, um órgão estatal, quatro vezes, por conta de suas canções com palavras como 'álcool' e 'haxixe'.

Ainda de acordo com a ONG, a condenação da dupla faria parte de uma perseguição a artistas de mahraganat, um gênero de música eletrônica que tem se tornado popular no país nos últimos anos. O Sindicato dos Músicos, por exemplo, teria banido 19 músicos do gênero de se apresentarem publicamente nos últimos anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos